Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
Amarras de nós emaranhados
Às vésperas de uma eleição polarizada e carregada de desinformação, é fundamental uma reflexão sóbria sobre o que ata o Brasil ao subdesenvolvimento
polarização, Amarras de nós emaranhados, Capital Aberto
O sistema de financiamento público fomentou a fragmentação dos partidos e sentenciou à morte as políticas de governo.

Na maratona do desenvolvimento, medida pela renda per capita, o Brasil seguidamente tem ficado para trás. Em 1960, havia uma centena de países com renda média (nem pobres, nem ricos), e o país não conseguiu figurar entre os 13 que “se graduaram” para o clube dos desenvolvidos em 2020. Em “Nós do Brasil: nossa herança e nossas escolhas”, a economista Zeina Latif compõe o mosaico de elementos interrelacionados que explicam nossa dificuldade em avançar econômica e socialmente. 


A Capital Aberto tem um curso online sobre captação de recursos no mercado de capitais. Confira!


Não há falta de publicações que buscam explicar nosso desempenho medíocre no período destacado, mas Latif aplica uma lente perspicaz para organizar as peças desse quebra-cabeças a partir de nossa herança e nossas escolhas institucionais. Às vésperas de uma eleição polarizada e sob constante ataque à desinformação, é fundamental uma reflexão sóbria sobre os nós que amarram a nação ao subdesenvolvimento. 

Segundo a autora, o pecado original reside na educação. A baixa qualidade da educação primária impede a construção de capital humano, que é elemento fundamental para a formação de cidadãos e uma sociedade equilibrada. A este elemento da base da pirâmide, juntam-se tantos outros como o patrimonialismo, o funcionamento do Judiciário e a própria dinâmica do regime democrático. Como disse Churchill, “é o pior regime político, mas o único aceitável”. Mas ele não morava no Brasil. 

Um exercício interessante é analisar esses países que compõem o seleto clube que ascendeu à série A. De forma simplista, há dois caminhos para a graduação: um exógeno (por exemplo, Portugal ingressando na comunidade europeia) e outro endógeno (por exemplo, Coreia do Sul). No segundo grupo, um elemento de destaque é o sistema de governo autoritário, que permite a implementação de políticas com baixo diálogo e representatividade da sociedade. Embora existam exemplos de regimes democráticos com sucesso desenvolvimentista (Austrália, Nova Zelândia), a ausência de sentimento de urgência e a heterogeneidade das populações permitem a grupos de interesse organizados capturarem o sistema político para implementar seus objetivos patrimonialistas. Na democracia, é mais complicado. 

Por fim, fica claro que todas as soluções passam pelo nó górdio da barganha política, onde reside a dinâmica do sistema democrático. Infelizmente, o sistema de financiamento público fomentou a fragmentação dos partidos e sentenciou à morte as políticas de governo, substituídas por políticas dos partidos. Embora as instituições que sustentam a democracia tenham amadurecido a duras penas, a armadilha do baixo crescimento está sempre à espreita. É triste, mas insistimos em desperdiçar um tempo precioso. 

Nós do Brasil: Nossa herança e nossas escolhas 

Zeina Latif 

Record 

252 páginas 

1a edição ― 2022 

Peter Jancso é sócio da Jardim Botânico Investimentos e conselheiro independente 

Matérias relacionadas

No Brasil e no mundo, empresários se movimentam em favor da democracia

As polarizações como um fato político

Golpes, autogolpes e suas novas fórmulas


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 9,90/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.