Aliança polêmica

Editorial | Semana de 29 de outubro a 01 de novembro

Editorial / 26 de outubro de 2018
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Nesta semana, o destaque é a seção Antessala, dedicada à discussão da importância estratégica da joint venture de Boeing e Embraer e dos aspectos controversos da operação. O texto foi elaborado a partir de um debate com cinco especialistas, conduzido pelos repórteres Letícia Paiva e Rodrigo Petry. No encontro, foram abordados temas polêmicos, como o preço que americana se dispõe a pagar pelo controle operacional da joint venture — considerado baixo pelos investidores — e também o fato de o desenho da operação permitir que a Boeing detenha 80% do negócio sem precisar fazer uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) para os sócios da Embraer.

Também originou um conteúdo desta edição o Grupo de Discussão com o tema “Governança além do marketing”. O texto aborda a visão de participantes do mercado de capitais sobre como as companhias podem costurar uma narrativa que reforce a verdadeira história da organização em aspectos que dizem respeito à sua governança.

Na coluna desta semana, Raphael Martins explica o que está por trás de “curiosos casos de autismo” em que os votos proferidos pelo representante do programa de depositary receipts (DRs) divergem substancialmente do que parece ser o entendimento da maioria da base acionária. O que torna esses eventos interessantes, observa o advogado, é o fato de não se tratar de uma natural divergência de entendimento entre acionistas nacionais e estrangeiros.

Vale a pena a leitura da seção Princípio, escrita por William Salasar. Desta vez, a coluna conta a origem da Bossa Nova Investimentos, gestora de micro venture capital nascida da ousadia de Pierre Schurmann. A asset tem uma meta ousada: planeja ter mil empresas em seu portfólio até 2020. Hoje sua carteira, avaliada em 6,8 bilhões de reais, é composta de pouco de uma centena de startups.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Governança CVM Jardim Botânico Investimentos joint venture Startups depositary receipt oferta pública de aquisição ​governança corporativa Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Um furacão chamado MiFID II
Próxima matéria
Governança para inglês ver



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Um furacão chamado MiFID II
A norma é praticamente recém-nascida, mas já chegou como um furacão. Em vigor desde janeiro deste ano, a MiFID II — sigla,...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}