Elon Musk usa Twitter para anunciar intenção de fechar o capital da Tesla

Postagem gerou cerca de 6 mil comentários, incluindo teorias inusitadas para o preço das ações

Companhias abertas/N@ Web / 10 de agosto de 2018
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Elon Musk tem cerca de 22 milhões de seguidores no Twitter. É um alcance e tanto. No último dia 7, ele usou a rede social para dizer que estava considerando deslistar a Tesla, sua empresa de carros elétricos. A postagem rendeu pelo menos 16 mil republicações, 84 mil curtidas e 6 mil comentários. Musk explicou que pretende transformar a Tesla em uma empresa de capital fechado, mas que gostaria que todos os acionistas permanecessem investidores por meio de um fundo de propósito específico, a exemplo do que já acontece com sua empresa SpaceX. Nesse cenário, os sócios teriam a opção de vender os papéis da Tesla por 420 dólares ou mantê-los. “Espero que todos os acionistas permaneçam. Será bem mais fácil [tocar o negócio] com o capital fechado. Isso vai dar fim às propagandas negativas de investidores vendidos”, provocou Musk. O tuíte gerou todo tipo de comentário. Alguns seguidores acusaram o empresário de estar brincando com coisa séria — não seria a primeira vez que ele usa a rede social para pregar uma peça nos investidores; outros disseram que sua postagem no Twitter teria como finalidade manipular o preço das ações. Mas os comentários mais inusitados estavam relacionados ao valor escolhido por Musk para o fechamento de capital. Não faltaram teorias bizarras. Um indiano observou que, em seu país, 420 é o artigo do código penal que enquadra pessoas que usam meios desonestos para coagir os outros a entregar suas posses. Já um americano disse que, se o número for referência a alguma coisa, é ao consumo de maconha: popularmente, nos Estados Unidos, 4:20 é considerado o horário de se consumir a droga.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Elon Musk Tesla Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Mudar para permanecer
Próxima matéria
Arbitragem no mercado de capitais



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Mudar para permanecer
Aos 15 anos, como os colegas do carioca Colégio Liessin, Guilherme Horn queria ou trabalhar em multinacional ou ter um negócio...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}