Como a indústria de VC descobre o futuro
A proporção extrema entre sucessos e fracassos é explicada pela “power law”, que alimenta o venture capital no Vale do Silício e no mundo
venture capital, Como a indústria de VC descobre o futuro, Capital Aberto
Após 50 anos de desenvolvimento, a indústria de venture capital é glorificada e vilanizada o tempo todo, mas seu impacto inegável está ao nosso redor

A natureza da pesquisa científica em qualquer campo do conhecimento humano — química, física, ciências, biologia, etc. — envolve a dura realidade de que o sucesso empírico tem probabilidade quase nula. No entanto, nos raros eventos em que ele acontece, a brutal escala atingida acaba pagando por todas as tentativas frustradas de forma exponencial. Essa proporção extrema entre sucessos e fracassos é explicada pela “power law”, que alimenta a indústria de venture capital (VC) no Vale do Silício e no mundo. 


A Capital Aberto tem um curso online sobre captação de recursos no mercado de capitais. Confira!


Em “The power law: venture capital and the making of the new future”, o consagrado autor e jornalista Sebastian Mallaby conta uma história íntima da indústria de VC a partir de seu acesso às figuras mais expressivas do segmento (Sequoia, Kleiner Perkins, Accel, Benchmark e Andreessen Horowitz, entre outros). O resultado é uma combinação de narrativa envolvente e análise recheada de casos curiosos, fracassos retumbantes e sucessos arrebatadores. 

O livro avança em ordem cronológica, registrando as etapas marcantes desde o nascedouro do venture capital, no fim dos anos 1960, até a exuberância do momento atual, onde se consolidou como uma classe de ativos separada (juntamente com private equity, o chamado investimento em empresas fechadas). 

No início, o capital era escasso, logo o poder de barganha entre empreendedores e investidores pendia fortemente para o lado destes últimos. Alguns milhares de dólares podiam comprar mais de 50% das empresas nascentes na primeira captação, além de garantir uma série de direitos interessantes (como receber antes de todos em caso de venda da empresa). Na década de 1970, a emergência do videogame (Atari) e do computador pessoal abriu canal para levar a tecnologia aos lares, e a escala de potência de 10 (10x, 100x, 1000x) começou a aparecer. Ao mesmo tempo, as primeiras reputações de investidores começaram a se formar nessa classe de investimentos notória por retornos elevados e concentrados em poucas gestoras. 

A partir daí, chegamos aos anos 1990 com a internet, e o resto é história: uma montanha de capital sem precedente é despejada no segmento, que vive uma curta exuberância irracional até o crash, em março de 2001. Como muito dinheiro corria atrás dos melhores negócios, os empreendedores passaram a deter grande poder de barganha nas negociações. Mais adiante, a chegada dos smartphones alimentaram uma nova onda de enormes oportunidades, que atraiu capital em volume igualmente inédito (leia-se Vision Fund, com 100 bilhões de dólares de patrimônio), e o novo ciclo repetiu histórias de excessos, fracassos e unicórnios. 

Após 50 anos de desenvolvimento, a indústria de venture capital é glorificada e vilanizada o tempo todo, mas seu impacto inegável está ao nosso redor, seja nos fones que são quase apêndices de nossos corpos, seja nas vacinas que ajudaram a atravessar a escuridão da pandemia. Toda atividade sujeita à “power law” está na mira dos venture capital, e suas estratégias têm moldado o caminho da inovação da economia global. Mas não espere um compasso moral do segmento: o mesmo dinheiro que financia vacinas pode financiar cigarros eletrônicos. 

The power law: venture capital and the making of the new future 

Sebastian Mallaby 

Penguin Press 

496 páginas 

1a edição ― 2022 

*Peter Jancso é sócio da Jardim Botânico Investimentos e conselheiro independente 

Matérias relacionadas 

Em 2023, venture debt despontará como alternativa para as startups

Investimento em venture capital deve registrar maior queda em duas décadas

Onda de demissões aprofunda queda no valuation das startups


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.