Nova profissão: minoritário de palha

11/5/2015

Governança Corporativa / 11 de Maio de 2015
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Raphael Martins*/ Ilustração: Julia Padula

A Lei das S.As. assegura a participação de acionistas minoritários nos conselhos de administração e fiscal. Em cada um destes órgãos, atendidas diversas condições, permite-se a eleição de um representante dos acionistas minoritários preferencialistas e outro dos ordinaristas. Salvo alguma idiossincrasia momentânea, estes dois assentos não garantirão a maioria em nenhum dos colegiados, apenas a possibilidade participar dos trabalhos ali desenvolvidos, fiscalizar a gestão da sociedade e eventualmente apresentar e defender uma visão diferente daquela adotada pela maioria.

Embora não pareça muito, ao que tudo indica, este pouco incomoda bastante os acionistas controladores. Afinal, a nova moda no mercado acionário tem sido a criação de artifícios para que minoritários de palha ou chapa-branca ocupem as vagas, impedindo a participação de acionistas menos alinhados ao projeto do grupo controlador.

O caso que chamou mais atenção recentemente envolveu a eleição do conselho de administração da Usiminas, em assembleia geral realizada no dia 6 de abril. Segundo noticiado, um dos acionistas do grupo de controle teria colocado parte de suas ações para aluguel, com o objetivo de “aparentemente, tenta[r] criar um novo grupo de minoritários para ocupar o comando do conselho.”

Mais recentemente, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) julgou e condenou o acionista controlador e administradores da Siderúrgica J. L. Aliperti S.A. pela utilização de sociedades offshore “para participar das eleições em separado destinadas à eleição de representantes dos minoritários e preferencialistas aos órgãos societários” da empresa. Conforme esclarece a autarquia, o expediente teria permitido “a composição totalitária” dos órgãos pelo controlador.

A ilegalidade desses comportamentos não precisa de grandes explicações. Afinal, quando a lei ressalva que a eleição para as vagas de acionistas minoritários deve ocorrer “em separado” daquela em que participa o acionista controlador, quer-se justamente destacar que a eleição deve ocorrer livre de influência e participação dele.

Entretanto, os casos citados são quase teratológicos. O que é frequente são estruturas mais sutis de interferência do acionista controlador na eleição “em separado”, normalmente trabalhando para arregimentar acionistas minoritários simpáticos à administração da companhia. Entretanto, a posição da CVM no julgamento acima, que aplicou uma das mais duras penas da história da autarquia, é bastante elucidativa do grau de reprovabilidade dessa conduta.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Usiminas conselho de administração CAPITAL ABERTO mercado de capitais Minoritários preferencialistas ordinaristas Siderúrgica J. L. Aliperti S.A. Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Fórum Amec de investidores 2015
Próxima matéria
Tributação (destaques encontro 7/5)



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Fórum Amec de investidores 2015
Veja o vídeo do evento aqui: https://www.youtube.com/watch?v=r8Dxnj5WRX4