Em resposta a críticas, BNDES justifica investimentos

Contabilidade e Auditoria/Seletas/Edição 143 / 1 de julho de 2015
Por 


em-resposta-a-criticasO Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e seu braço de participações, a BNDESPar, são alvo de persistentes críticas por conta da ajuda que dão às companhias abertas. Em geral, a desaprovação deve-se ao fato de tais empresas terem condições de captar recursos por conta própria, o que dispensaria o auxílio do banco de fomento. No que pode ser considerada uma resposta aos ataques, o BNDES lançou, no mês passado, a primeira edição do relatório “O crescimento das grandes empresas nacionais e a contribuição do BNDES via renda variável”.

O documento justifica os aportes feitos na JBS. De acordo com Felipe Silveira Marques, assessor da diretoria nas áreas de planejamento, pesquisa econômica e gestão de riscos do BNDES, a JBS multiplicou seu faturamento por oito após o financiamento, de R$ 14 bilhões em 2007 para R$ 120 bilhões em 2014, “tornando-se a maior empresa privada nacional em faturamento e a segunda empresa global em alimentos, atrás da Nestlé”.

John Wilkinson, professor da UFRRJ e autor de um estudo que integra o relatório, reconhece que os aportes do BNDES foram decisivos, mas lembra que a companhia conseguiu usar outras formas de captação. Do início da ajuda do BNDES, em 2007, até 2014, a JBS levantou R$ 23,4 bilhões no mercado de capitais privado contra R$ 5,6 bilhões da BNDESPar. O relatório destaca ainda os resultados obtidos na TOTVS e na Tupy.

Ilustração: Grau 180.com.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM CAPITAL ABERTO mercado de capitais Panamericano Termo de compromisso fraude contábil Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Equity crowdfunding vai ganhar regulação específica
Próxima matéria
CVM impõe limites ao interesse público das estatais



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Equity crowdfunding vai ganhar regulação específica
As ofertas de ações de micro e pequenas empresas pela internet — o chamado equity crowdfunding — ganharão um regulamento...