Estímulos para debêntures e ETFs

Captação de recursos / Seletas / Edição 131 / 1 de julho de 2014
Por 


O pacote de medidas para incentivar o mercado de capitais anunciado pelo ministro da Fazenda Guido Mantega no mês passado não se restringiu a promover o segmento acionário (leia mais). Beneficiou também a emissão de debêntures de infraestrutura, estendendo o benefício fiscal desses títulos, que expirava em 2015, para o fim de 2020. Os ETFs de renda fixa também ganharam regalia. O investimento em fundo de índice não sofrerá a incidência do “come-cotas”; será tributado apenas no resgate da aplicação. A cobrança de imposto será regressiva de acordo com o prazo médio dos títulos em carteira, favorecendo aquelas com papéis mais longos.

Ilustração: Beto Nejme/Grau180.com


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais ETF infraestrutura debênture benefício fiscal incentivos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Operações estruturadas
Próxima matéria
Ligações perigosas




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Operações estruturadas
A atual situação de fragilidade fiscal e financeira vivida pelos entes federativos abre margem à busca de soluções criativas...