Minerva nega capitalização para se unir à BRF

Os principais acontecimentos para o mercado de capitais entre os dias 4 e 8 de junho

Semana/Bolsas e conjuntura / 8 de junho de 2018
Por 


Ilustração: Julia Padula

Após questionamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Minerva Foods informa, em comunicado assinado pelo diretor de relação com investidores, Eduardo Puziello, que não contratou assessor financeiro para captação de recursos que viabilizaria a união da companhia com a BRF. Em reportagem publicada no dia 5 de junho, o site Brazil Journal informou que a Minerva teria contratado o banqueiro da Riza Capital Marco Gonçalves para promover a operação. Na mesma semana, o jornal Valor Econômico noticiou que a Minerva visa aumentar seu capital em 3 bilhões de dólares.

04.06

Italiana Enel efetiva a compra de 5,5 bilhões de reais em ações da Eletropaulo em leilão na B3. Foram negociados 122,7 milhões de papéis, o equivalente a 73% do total de ações da companhia. Com a aquisição, a Enel torna-se a maior distribuidora de energia do Brasil, superando a CPFL.

06.06

Novo presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, defende, em comunicado endereçado aos funcionários da estatal, o alinhamento da política de preços da petroleira com o mercado internacional. “A capacidade de estabelecer nossos preços como uma variação do preço do petróleo, sem perdas para a companhia, e competir de igual para igual neste mercado são condições essenciais para que a Petrobras seja capaz de cumprir seu papel de empresa que gera riqueza e desenvolvimento”, escreveu. O executivo afirma que vai dar continuidade à gestão de Parente.

Vale atinge maior valor de mercado dos últimos sete anos — 291,4 bilhões de reais. Com a alta do dólar e o aquecimento do mercado internacional de minério, a companhia chegou a ocupar a segunda posição entre as mais valorizadas na B3 na semana passada. Desde o primeiro dia do ano até essa data, as ações da Vale valorizaram cerca de 40%.

CVM rejeita recurso da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), acionista minoritária da Usiminas, que pedia oferta pública de aquisição (OPA) das ações da siderúrgica por causa do ingresso da Ternium/Techint no bloco de controle da Usiminas, em 2011. A Ternium comprou a participação da Votorantim e da Camargo Corrêa, mas como a Nippon Steel, que já estava no bloco de controle, manteve sua posição, a CVM entendeu que a OPA por alienação de controle não se aplicava nesse caso. A decisão da autarquia ocorreu em reunião do colegiado no dia 8 de maio, mas foi divulgada pela Usiminas nessa data.

07.06

Na quarta rodada do pré-sal, Petrobras firma presença na aquisição de todas as áreas negociadas, com participação de 30% nos consórcios vencedores. A companhia desembolsará cerca de 1 bilhão de reais pelos ativos.

B3 anuncia parceria com a subsidiária integral da Bolsa de Xangai, a China Invest Information Services (CIIS). Com o acordo, a CIIS atuará como administradora e distribuidora oficial de market data da B3 na China continental.

08.06

De acordo com dados divulgados pela Anbima, as companhias brasileiras captaram 8,2 bilhões no mercado de capitais nacional em maio. Com isso, o acumulado nos cinco primeiros meses deste ano soma 73,4 bilhões, um aumento de 40% em comparação com o mesmo período de 2017.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CSN Eletropaulo Petrobras Usiminas Anbima B3 Enel Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Novas tecnologias incitam guerra fiscal
Próxima matéria
Última chamada para a IFRS 16



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Novas tecnologias incitam guerra fiscal
A aprovação de um projeto de lei complementar pelo Senado na última terça-feira deu início a mais uma temporada...