Tolerância zero

Regulador europeu não permitirá empresas de fachada após saída do Reino Unido da UE

Bolsas e conjuntura/Internacional / 11 de junho de 2017
Por 


 

Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A European Securities and Markets Authority (Esma) já se prepara para as possíveis consequências do Brexit. No fim de maio, alertou os empresários britânicos de que não tolerará que criem empresas de fachada no continente europeu para preservarem seus negócios em países fora do Reino Unido. O aviso vale para as gestoras de recursos. De acordo com a Esma, quando o Brexit se concretizar, as assets londrinas que têm hoje autorização para distribuir seus produtos, como fundos de investimentos, para outros países da Europa terão essa permissão revogada.

Caso decidam mudar de localidade para continuar vendendo seus produtos financeiros na região, as assets britânicas terão que se submeter às mesmas regras aplicáveis a empresas integrantes do bloco europeu. O principal objetivo da medida é evitar a proliferação das chamadas “letterbox entities”, empresas que só existem no papel e não têm qualquer atividade operacional no país sede.

“O Brexit cria uma situação única que exige um esforço comum de todos os países do bloco para que se assegure a proteção dos investidores e o funcionamento ordenado do mercado financeiro”, afirmou Steven Maijoor, chefe da Esma, ao Financial Times. Segundo o jornal, outra prioridade da autoridade europeia é garantir que as agências regulatórias de cada país do bloco não concorram entre si para atrair negócios, afrouxando para isso as suas regras de supervisão.

 

 


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Europa Internacional Reino Unido Esma Brexit empresas de fachada Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Mudou a lógica
Próxima matéria
Código Brasileiro de Governança é regulado



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Mudou a lógica
O último par de anos de recessão econômica no Brasil causou desagradáveis rupturas em projetos de crescimento que poucos...