MiFID II deixa cerca de 300 empresas europeias sem cobertura

Estudo sugere que é esse o impacto da nova realidade das análises de sell side

Relações com Investidores/Internacional / 2 de agosto de 2019
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Ilustração: Rodrigo Auada

Implementada há um ano e meio, a segunda diretiva da União Europeia para instrumentos financeiros (MiFID II, na sigla em inglês) fez um total de 334 empresas listadas na Europa perderem a cobertura de analistas de sell side desde então. É o que sugere um recente estudo de pesquisadores da Universidade de Toronto, da Universidade Concordia (de Montreal) e da Universidade de Londres. A diretiva proibiu a prática, antes comum no mercado, de venda casada de relatórios de análise e serviços de corretagem. De acordo com os pesquisadores, é provável que as avaliações de sell side não tenham tido apelo comercial suficiente para fazer os investidores pagarem por elas.

Embora tenha deixado muitas empresas “no escuro” em termos de análise, a implementação da MiFID II teve por ora um efeito curiosamente positivo: a melhora da qualidade das avaliações feitas para as empresas que continuam sendo cobertas. A hipótese dos autores do estudo é que tenham saído do mercado de sell side, com a menor demanda pelos relatórios, os analistas menos experientes; teria ficado os seniores, capazes de montar análises mais elaboradas. Quanto ao aumento do número de profissionais trabalhando no buy side o estudo não tem dados conclusivos, mas os pesquisadores levantam a possibilidade de ter havido uma migração do sell side provocada pela mudança de cenário com a nova diretiva.

Os autores dizem que o mapeamento dos primeiros efeitos da regulação na Europa pode servir de base para conjecturas a respeito do que aconteceria se diretiva semelhante fosse adotada no mercado americano.


Leia também

Um furacão chamado MiFID II

Com a libra, Facebook põe autoridades e bancos em alerta

Reflexões sobre a maturidade dos conselhos


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  sell side investidores MiFID II buy side Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Com a libra, Facebook põe autoridades e bancos em alerta
Próxima matéria
Bancos centrais americano e brasileiro decidem cortar juros básicos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Com a libra, Facebook põe autoridades e bancos em alerta
Era o que faltava para atormentar ainda mais a já atribulada rotina dos grandes bancos do mundo em geral e dos bancos...