Estados Unidos estudam proposta para regulação de consultorias de voto

O Congresso americano recebeu, no fim de maio, uma proposta de dois deputados republicanos para a criação de um arcabouço de regulação e fiscalização para as consultorias de voto. Atualmente, duas empresas dominam esse mercado: a Institutional Shareholder Services (ISS) e a Glass Lewis. O projeto …

Seletas/Internacional/Edição 33 / 3 de junho de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

O Congresso americano recebeu, no fim de maio, uma proposta de dois deputados republicanos para a criação de um arcabouço de regulação e fiscalização para as consultorias de voto. Atualmente, duas empresas dominam esse mercado: a Institutional Shareholder Services (ISS) e a Glass Lewis.

O projeto de lei propõe que esse tipo de consultoria, cuja função é recomendar aos investidores como votar nas assembleias de acionistas, tenha que se registrar na Securities and Exchange Commission (SEC). Se a medida for aprovada, elas deverão revelar ao regulador seus procedimentos, metodologias e estrutura organizacional, além de informar se possuem um código de ética. As consultorias também vão precisar garantir transparência a potenciais conflitos de interesses e apresentar as políticas que adotam para evitá-los. O regulador deve solicitar, ainda, que as consultorias forneçam os nomes dos principais clientes e quais serviços eles contratam.

Em texto publicado na Harvard Business Review, os advogados David A. Katz e Laura A. McIntosh manifestaram-se a favor do projeto. Para eles, a aprovação da medida seria uma resposta a uma antiga demanda do mercado. Muitos participantes reclamam do poder dessas consultorias, já que elas orientam o voto dos acionistas. Embora o investidor não precise votar conforme o que elas dizem, é raro que discordem da recomendação. Assim, Katz e McIntosh defendem a ideia de que a reforma regulatória levará à responsabilização das consultarias de voto por eventuais erros cometidos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  EUA Securities and Exchange Commission consultoria de voto Harvard Business Review Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Plataforma do herói de The Flash Boys recebe aval para virar bolsa de valores
Próxima matéria
Negócios disruptivos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Plataforma do herói de The Flash Boys recebe aval para virar bolsa de valores
Figura central do livro The Flash Boys e criador da IEX, plataforma alternativa de negociações que tem como objetivo...