CVM avalia novas regras para assembléias de pulverizadas

Edição 39 / 1 de novembro de 2006
Por 


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estuda a possibilidade de editar uma instrução para reduzir o quórum mínimo exigido nas assembléias de empresas com capital pulverizado. A idéia seria fixar uma tabela: quanto maior o grau de dispersão, menor seria o número de participantes exigido. A informação foi transmitida pelo presidente da CVM, Marcelo Trindade, durante o seminário “Pulverização do Controle de Empresas — A Nova Forma de Gestão Empresarial”, promovido pela Amcham Rio. Segundo ele, a medida apenas transformaria em regra decisões que já foram tomadas em casos específicos, sendo o mais recente o episódio de pulverização de ações da Telemar.

A Lei das S.As prevê que a CVM tem o direito de reduzir o quórum estabelecido nos casos de companhia aberta “com ações dispersas no mercado”. Para definir essa dispersão, a lei requer que as três últimas assembléias tenham sido realizadas com a presença de acionistas que representem menos da metade das ações com direito a voto.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Dois em 1
Próxima matéria
Securitizações crescem e trazem ativos novos, como os agrícolas




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Dois em 1
 O aumento das exigências dos investidores com relação à governança corporativa e à liquidez das ações está...