Remuneração mais transparente

Nick Robinson

Gestão de Recursos/Reportagem/Temas/Edição 109 / 1 de setembro de 2012
Por 


Desde 2010, as empresas abertas brasileiras, no momento em que entregam o formulário de referência para a CVM, precisam preencher o item 13.11, no qual revelam os montantes mínimos, médios e máximos pagos a diretores e conselheiros. A norma, fortemente criticada pelos executivos, foi um avanço no quesito transparência. Os investidores, porém, querem mais.

Para Nick Robinson, diretor da Aberdeen no Brasil, as empresas deveriam dar nomes aos bois — isto é, revelar o quanto cada um dos administradores coloca no bolso. “Como sócio, quero saber quanto e como cada um está ganhando”, diz. Ele considera que, da forma como está, a divulgação pode confundir o investidor — afinal, como ter a certeza de que o salário máximo corresponde ao do presidente da empresa? Se não for, ressalta Robinson, seria ainda mais essencial o investidor ter conhecimento desse fato.

Para os investidores, principalmente os estrangeiros, negar-se a prestar essa informação é uma conduta ruim. A ISS, consultoria de voto estrangeira, adotou uma posição radical: se a empresa não revelar as informações sobre remuneração, no mínimo, conforme requerido pela CVM, sua recomendação é votar pela não aprovação dos salários da administração. A construtora PDG sentiu isso na pele em 2011, quando, na convocação da assembleia, divulgou apenas o montante global da remuneração dos administradores. Os acionistas da companhia, cujo capital é pulverizado, seguiram as recomendações da ISS, e o plano foi rejeitado.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Nick Robinson Aberdeen Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
O outro lado
Próxima matéria
Cingapura eleva padrões de listagem



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
O outro lado
Há uma pressão no mercado de financiamento imobiliário para que se tenha uma fonte alternativa de recursos quando os depósitos...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}