Tanure reforça participação na Oi por meio da Petro Rio

A última assembleia da Oi, realizada no fim de julho, continua rendendo discussões. A ata do encontro revela que a Petro Rio, nova denominação da petroleira HRT, figura entre os acionistas. A participação tem gerado incômodo, em especial entre os assessores que atuam em prol dos antigos …

Gestão de Recursos/Seletas/Reportagem/Edição 42 / 5 de agosto de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A última assembleia da Oi, realizada no fim de julho, continua rendendo discussões. A ata do encontro revela que a Petro Rio, nova denominação da petroleira HRT, figura entre os acionistas. A participação tem gerado incômodo, em especial entre os assessores que atuam em prol dos antigos controladores da telefônica. Por trás da Petro Rio está Nelson Tanure, que se tornou minoritário da petroleira após o pedido de recuperação judicial e hoje é seu controlador. Nos últimos meses, o empresário tem avançado sobre a Oi — comprou 6,63% do capital por meio do fundo Société Mondiale —, propôs uma renovação maciça do board e, mais recentemente, protocolou um pedido de convocação de assembleia para votação da abertura de ações de responsabilidade contra a Pharol (detentora de 22% da Oi por meio da Bratel).

A Petro Rio não aparece na lista dos maiores acionistas da Oi porque a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) restringe a divulgação àqueles que detêm, ao menos, 5% de cada classe de ações. Nos bastidores, o rumor é de que a petroleira esteja próxima disso, com uma fatia de cerca de 4,5% do capital. Consultada, a companhia não informou o percentual exato.

A participação da Petro Rio na Oi não é irregular. O estatuto da petroleira permite a compra de ações de outras sociedades, independentemente do setor de atuação. Ainda assim, o investimento chama atenção. “Por que uma companhia especializada na exploração de petróleo investe em ações de uma telefônica em recuperação judicial?”, questiona uma fonte que preferiu não se identificar, por estar envolvida no litígio. “O Tanure está queimando o caixa de uma empresa de outro setor e cujos investidores esperam retorno pela exploração de petróleo”, reclama.

Para os cerca de 3 mil sócios da Petro Rio, o investimento na Oi era oculto até a assembleia. Nas notas explicativas relativas ao primeiro trimestre do ano, a companhia informou não ter investimentos em ações. Ao mesmo tempo, reportou prejuízo de R$ 65,3 milhões e disponibilidade de caixa de R$ 495 milhões.

A diversificação dos veículos de investimento que compram ações da Oi em prol de Tanure pode ser vantajosa para o empresário. O estatuto da telefônica restringe o poder de voto dos sócios a 15%. Ou seja, se concentrar as compras de ações sob um só veículo, o desembolso financeiro de Tanure pode acabar maior do que os direitos políticos adquiridos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Oi HRT Nelson Tanure conselho da Oi Petro Rio briga de acionistas Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Carf pós-Zelotes
Próxima matéria
Acionistas da Oi iniciam batalha contra Pharol e Santander



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Carf pós-Zelotes
Deflagrada pela Polícia Federal em março de 2015, a Operação Zelotes evidenciou a necessidade de reformas no Conselho...