Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
Conselhos sem comitês
20% das empresas não possuem esses grupos de apoio; maioria silencia sobre explicações

, Conselhos sem comitês, Capital AbertoUm comitê de apoio ao conselho de administração, como órgão de assessoramento, trata de assuntos preestabelecidos, e dentro de sua especialidade. Seu principal papel é fornecer subsídios para as decisões da instância máxima da companhia. Esses órgãos realizam recomendações aos conselheiros, calcadas em estudos e análises especializadas. Têm caráter consultivo, e não deliberativo.

Com o intuito de fomentar e ampliar a discussão sobre o assunto, em dezembro, a CAPITAL ABERTO escolheu para esta seção o tema “utilização de comitês de apoio ao conselho de administração”. De acordo com o Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa do IBGC, “várias atividades do conselho de administração, que demandam muito tempo – nem sempre disponível nas reuniões –, podem ser mais bem exercidas por comitês especializados”.

Acredita-se que os comitês de apoio ao conselho de administração tornam o processo decisório mais eficiente, devido a sua especialização. No entanto, a instalação desses órgãos não é obrigatória no Brasil. Apenas o Banco Central (Bacen) exige das instituições financeiras de grande porte a constituição de comitê de auditoria, através de suas resoluções 3.081/03 e 3.170/04. O objetivo é assegurar aos investidores, e ao mercado como um todo, que tais companhias adotam boas práticas de governança corporativa.

Para formar a amostra da pesquisa, foram selecionadas as 80 companhias com maior liquidez em bolsa no dia 3 de novembro, segundo a Economática. Do total, 22 empresas ainda não utilizam comitês que dêem suporte às decisões de seus conselhos de administração, preferindo, portanto, não seguir a recomendação do IBGC. Dessas, apenas duas, Log-In e WEG, aceitaram se manifestar a respeito.

Por não ter caráter obrigatório, é possível que algumas empresas estejam de acordo com a recomendação do IBGC, mas não divulguem informações sobre a existência de comitês de apoio. A pesquisa tentou capturar esse aspecto, requisitando que as empresas nessas condições se manifestassem. No entanto, o maior incentivo para que as empresas passem a adotar melhores práticas de governança e a divulgar (e explicar) as práticas não adotadas vem de seus acionistas. Em última instância, são eles que têm poder para cobrar maior transparência e melhor governança de seus administradores.


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.