Oi anuncia novos conselheiros de administração

Depois de semanas de imbróglio em torno da convocação de assembleias de acionistas da Oi, o fundo Société Mondiale, ligado ao empresário Nelson Tanure, voltou atrás. Na terça-feira, dia 13, após se acertar com a Bratel (subsidiária integral da Pharol), o Société Mondiale decidiu suspender a …

Seletas/Companhias abertas/Reportagem/Edição 48 / 16 de setembro de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Depois de semanas de imbróglio em torno da convocação de assembleias de acionistas da Oi, o fundo Société Mondiale, ligado ao empresário Nelson Tanure, voltou atrás. Na terça-feira, dia 13, após se acertar com a Bratel (subsidiária integral da Pharol), o Société Mondiale decidiu suspender a convocação de assembleias que visavam deliberar a destituição de membros do conselho de administração da Oi e a adoção de medidas de responsabilização dos administradores da empresa, que está em recuperação judicial.

A suspensão dos encontros ocorreu após Tanure fechar acordo para indicar membros para o conselho de administração da Oi. Na quarta-feira, a companhia divulgou fato relevante no qual comunicou que seu board nomeou Demian Fiocca e Hélio Calixto da Costa para as vagas de titulares e Pedro Grossi Junior, Nelson Tanure, Blener Cardoso Mayhew, Luís Manuel de Macedo, Nelson Rodriguez Tanure e José Manuel Melo da Silva, para os assentos de suplentes. O acordo foi estabelecido depois que a companhia divulgou ao mercado, na segunda-feira, a renúncia de Marcos Grodetzky do cargo de conselheiro independente titular.

O vaivém em torno das assembleias começou uma semana antes da data marcada para sua realização, o dia 8 de setembro. A vara onde o processo de recuperação judicial corre determinou a suspensão da convocação, acolhendo recomendação do Ministério Público do Rio. Um processo arbitral chegou a ser iniciado para se solucionar a questão, porém o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acabou indeferindo um pedido de liminar apresentado pelo Société Mondiale, no qual o fundo solicitava que a 7 ª vara empresarial do Rio de Janeiro se abstivesse de se pronunciar sobre a convocação e a realização de encontros de acionistas da Oi. Como consequência, as assembleias de fato não aconteceram.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Oi recuperação judicial Nelson Tanure Société Mondiale Pharol Assemblei da Oi convocação de assembleia Marcos Grodetzky Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Óleo e Gás: tendências para os próximos 15 anos
Próxima matéria
Securitização de dívida ativa



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Óleo e Gás: tendências para os próximos 15 anos
Lidar com as turbulências, volatilidade de preços e instabilidade geopolítica não chega a ser novidade no setor de petróleo...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}