Republicanos querem a volta da separação entre bancos de varejo e de investimento

Na convenção nacional do último dia 18, em que escolheu Donald Trump como candidato à eleição presidencial americana de 2016, o partido republicano surpreendeu ao pedir a volta da Lei Glass-Steagall. Em vigor entre 1933 e 1999, essa legislação estabelecia a completa separação entre bancos de varejo …

Seletas/Internacional/Edição 40 / 22 de julho de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Na convenção nacional do último dia 18, em que escolheu Donald Trump como candidato à eleição presidencial americana de 2016, o partido republicano surpreendeu ao pedir a volta da Lei Glass-Steagall. Em vigor entre 1933 e 1999, essa legislação estabelecia a completa separação entre bancos de varejo e de investimento, até ser suspensa no mandato do democrata Bill Clinton.

A reforma que acabou com o princípio da Glass-Steagall foi desenhada pelos próprios republicanos e apoiada por boa parte dos democratas. A separação era considerada um entrave ao crescimento das instituições financeiras. Muitos especialistas, entretanto, afirmam que a extinção da lei contribuiu para a eclosão da crise de 2008: além de favorecer a existência de bancos grandes demais para falir, teria permitido que instituições financeiras que lidam com a poupança popular corressem riscos excessivos.

A imprensa estrangeira, com destaque para Bloomberg e Financial Times, comenta a excentricidade do caminho escolhido pelos republicanos. A reativação da lei atingiria instituições como Bank of America, J.P.Morgan, Citigroup e Wells Fargo, que precisariam segregar suas operações. Além da volta da Glass-Steagall, o programa de governo dos republicanos sugere barreiras protecionistas ao comércio internacional.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  bancos de investimento Lei Glass-Steagall convenção republicana Donald Trump bancos de varejo Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
3º LATAM ESG 2016
Próxima matéria
OPA obrigatória



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
3º LATAM ESG 2016
A Conferência é uma realização conjunta da APIMEC - Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado...