Obstáculos e reinvenções

Editorial | semana de 09/07 a 13/07

Editorial / 6 de julho de 2018
Por 


Dois anos já se passaram desde que a primeira fase da operação Greenfield, deflagrada pela Polícia Federal, expôs investimentos suspeitos feitos pelas maiores fundações de estatais do País (Postalis, Petros, Funcef e Previ) por meio de FIPs. Em reportagem desta semana, Luciana Del Caro relata como esse episódio maculou a indústria de private equity e o que vem sendo feito pelos gestores de recursos — e também pela Comissão de Valores Mobiliários — para desfazer essa imagem negativa e garantir que os FIPs sejam usados para seu verdadeiro propósito: a compra de participação em empresas com potencial de crescimento para posterior venda e entrega de retorno para o investidor.

Outro setor debilitado é o mercado de imóveis de alto padrão, em que atua a Helbor. Na seção Alta&Baixa, Soraia Duarte narra as dificuldades enfrentadas pela incorporadora diante do recrudescimento da crise econômica e da avalanche de distratos por ela gerada. Nos 12 meses encerrados no último dia 20 de junho, as ações da companhia desvalorizaram-se 52,7%. Uma boa notícia para a empresa é o PL 1.220, que estabelece multas pelos cancelamentos de contratos e atualmente aguarda votação no Senado.

Na seção Internacional, o destaque é o programa de delação premiada do regulador do mercado de capitais americano. No fim de junho, os diretores da Securities and Exchange Commission (SEC) decidiram, por três votos a dois, apresentar uma proposta para limitar o prêmio pago atualmente a delatores. A iniciativa é uma resposta ao prêmio recorde de 83 milhões de dólares recebido, em março deste ano, por três pessoas que denunciaram irregularidades no Merrill Lynch.

Também agitam o mercado internacional as discussões sobre a nova regra europeia de proteção de dados, a GDPR (General Data Protection Regulation), que se tornou efetiva no último mês de maio. A regulamentação exige importantes adaptações também por parte dos auditores. É o que alerta, em artigo, a presidente do comitê de ética do Instituto dos Auditores Internos do Brasil e data protection officer da Volkswagen no País. Vale a pena prestar atenção às dicas da especialista.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  private equity SEC FIPs Merrill Lynch helbor GDPR Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Disputas
Próxima matéria
Como atrair recursos para startups



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Disputas
A disputa entre os Steinbruch, donos do conglomerado Vicunha, pode causar sérios danos à Companhia Siderúrgica Nacional...