Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Tudo começou com o objetivo de aumentar a proteção dos acionistas minoritários e, dessa forma, atrair investidores e emissores para a esvaziada Bovespa. O Novo Mercado, contudo, foi muito além do que sua missão inicial requeria. Às veteranas do pregão, ofereceu uma oportunidade de se reestruturarem, superarem crises e refazerem os laços com investidores em condições muito mais amistosas. Às novatas desconhecidas dos investidores, uma estrada bem pavimentada para a abertura de capital. Aos reguladores, um espaço para elevar as obrigações de transparência e governança sem mexer na lei ou na regulamentação. O Novo Mercado também proporcionou aos agentes de mercado um respiro aliviado: as ofertas iniciais de ações, finalmente, voltaram a acontecer. E, ao Brasil, um sentimento de orgulho e reconhecimento internacional: o segmento é, hoje, um modelo que outros países tentam reproduzir.

Nesta edição, produzida para celebrar a primeira década dessa invenção revolucionária, traçamos um panorama da trajetória do Novo Mercado e dos seus desafios. Começamos contextualizando a iniciativa da Bolsa na conturbada história do mercado de capitais brasileiro, em um primoroso texto do escritor Ney Carvalho. E seguimos tratando das companhias que se deram bem (e daquelas que decepcionaram); da difícil reforma de 2010, com suas frustrações e seus acertos; dos emissores relevantes que permanecem fora do Novo Mercado; e da agenda para os próximos anos na visão dos criadores do segmento, do presidente da BM&FBovespa, e de investidores e consultores estrangeiros.

O sucesso do Novo Mercado é resultado do diagnóstico preciso dos problemas que abatiam o mercado; da atitude corajosa de apostar em uma solução nunca antes experimentada; da persistência em manter o projeto original diante das dificuldades; e do embalo camarada oferecido pelos bons ventos da economia brasileira. Prever o desempenho dessa consecução no futuro é um exercício difícil e de resultados ainda bastante nebulosos. Provavelmente, será necessária mais uma leva de decisões certas para fazê–lo prosperar e, talvez um dia, alcançar sua realização derradeira: deixar de existir. A adesão de todas as companhias às práticas do Novo Mercado seria a maior vitória do segmento — mas ninguém sabe se isso irá acontecer um dia.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  bolsa de valores Governança Corporativa Novo Mercado Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Herdeiros Engajados
Próxima matéria
Difícil de engrenar



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Herdeiros Engajados
  A ligação da família Vilela de Queiroz, fundadora do Grupo Minerva, com o setor de carnes ultrapassa meio...