Aprendendo com os erros

Editorial | semana de 22/01 a 26/01

Editorial / 29 de janeiro de 2018
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Na edição desta semana, a coluna Alta&Baixa destaca os efeitos da proibição do uso do amianto nos negócios — e nas ações — da Eternit. Não é de hoje que a companhia é afetada por adotar, na fabricação de seus produtos, um material com potencial de prejudicar a saúde pública. As críticas, entretanto, sempre foram respondidas com teimosia. No lugar de buscar um substituto para o amianto, a Eternit optou por comprar numerosas brigas na Justiça para tentar provar que o material é inofensivo. Agora que o uso dessa fibra mineral foi proibido de vez pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a empresa se vê em maus lençóis. Somente em 2017 as ações da Eternit caíram 30%, prejudicadas também pela crise do setor de construção civil. Não à toa, a companhia se vê diante do desafio de se reinventar.

Quem também precisou sofrer um baque para perceber a gravidade da situação foi o setor de fundos de pensão. Em seu artigo, Fábio Henrique de Sousa Coelho, diretor-superintendente da Previc, conta o que tem sido feito pelo órgão de supervisão e fiscalização das fundações para recuperar a credibilidade dessa indústria, abalada por graves indícios de fraudes em investimentos.

Outro destaque é a coluna Ensaio, que oferece uma análise aprofundada da Instrução 588 da CVM, que normatiza o crowdfunding de investimento no Brasil. O texto, escrito por Giovana Grupenmacher e Mário Sérgio Souza Seabra da Rocha, traça um paralelo entre a regulação brasileira e americana de equity crowdfunding, destaca o paternalismo da CVM ao criar sua regra sobre o assunto e enumera ao menos cinco pontos que poderiam ser ajustados na norma. Só o tempo e os problemas que forem aparecendo no caminho, entretanto, permitirão um diagnóstico exato do que de fato precisa ser aprimorado no arcabouço.

Por fim, vale a leitura da coluna de Daniel Izzo, que aborda como identificar um negócio de impacto. A tarefa, afirma o gestor da Vox Capital, exige desmonte de ideias preconcebidas e percepção da intenção por trás do investimento.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Mudanças e oportunidades
Próxima matéria
Fome de dragão



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Mudanças e oportunidades
O ano começa com novidades no mercado de capitais brasileiro. Em decisão de 16 de janeiro, o colegiado da Comissão de Valores...