Encolhidas pela crise

Após euforia, tombo da classe C desestabiliza os negócios de varejistas como Riachuelo, Marisa e Hering

Bimestral / Companhias abertas / Reportagem / Edição 154 / 12 de março de 2017
Por 
Ilustração: Beto Nejme / Grau 180 Em 2016, a animação típica das grandes redes varejistas de vestuário nas semanas que antecedem cada fim de ano deu lugar a uma intensa sensação de desconforto. Em meio a vendas limitadas pela recessão, os executivos das empresas ancoravam no movimento...

Este conteúdo é restrito a assinantes! Faça login >

paywall2 paywall

Se já é assinante, faça login:



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  varejo Bolsa de valores Cia. Hering acesso de empresas médias à bolsa de valores crise vestuário crise econômica varejo de vestuário queda nas vendas Riachuelo desaceleração redes de varejo

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A ameaça do algoritmo
Próxima matéria
Tecnologia e o futuro das indústrias




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
A ameaça do algoritmo
O conceito matemático é bem antigo, mas não faz muito tempo que a expressão “algoritmo” se popularizou — disseminação...