QI Digital: sua empresa está aproveitando o potencial das novas tecnologias?

PwC | Compartilhar valor / 19 de novembro de 2017
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


O ambiente de negócios não é mais o mesmo desde os recentes avanços digitais. Graças ao data analytics, à internet das coisas, à inteligência artificial e robótica avançada, poucos setores da economia têm as mesmas características de dez anos atrás. Para se manterem competitivas, as empresas precisam saber usar o digital como ferramenta na geração de valor para clientes e consumidores.

Os gestores devem se perguntar sobre a capacidade das suas empresas em se adaptar a essas mudanças. Ser digital implica uma ampla visão tecnológica, levar em consideração as tecnologias atuais e emergentes e seus devidos impactos em todas as frentes do negócio, desde a experiência do consumidor até a experiência do colaborador, cultura da empresa e planejamento de novos produtos.

Um estudo da PwC mostrou que os executivos estão perdendo a confiança no QI Digital da empresa, ou seja, a capacidade de uso das novas tecnologias. Em 2015, 67% dos executivos afirmaram que sua empresa tinha QI Digital forte. Dois anos depois, 52% ainda têm essa mesma opinião.

Esse dado pode indicar apenas que os executivos hoje têm real noção do potencial do digital e sabem que ele pode ser muito mais bem empregado nas suas empresas – e gerar bons resultados. Entretanto, 45% dos executivos disseram que os projetos digitais não são entregues com 100% do escopo. Isso implica em menor retorno do investimento, que não é interessante. Entre os motivos dessa situação, os executivos entrevistados apontaram a escassez de talentos com as habilidades necessárias; o uso de tecnologias ultrapassadas; a dificuldade na integração entre tecnologias já existentes e emergentes; e processos engessados ou lentos.

Para 76% dos executivos, os investimentos em digital devem ter como objetivo aumentar a receita da empresa. Além disso, para 45% visam o aumento do lucro e para 35% têm o propósito de economizar custos. Sustentando as motivações dos executivos, empresas líderes em QI Digital têm propensão duas vezes maior de alcançar rápido crescimento de receitas e lucro.

Um dado relevante: 84% das empresas com os melhores desempenhos têm definição ampla sobre o que é digital.

Para impulsionar o crescimento digital, as empresas precisam ter alguns comportamentos considerados essenciais. Entre eles, alinhar a estratégia digital ao negócio e compartilhá-la no nível executivo, manter relacionamentos ativos com fontes externas para obter novas ideias de uso de novas tecnologias, usar de forma eficaz os dados para impulsionar o valor dos negócios; e sempre medir os resultados dos investimentos em transformação digital.

Ter uma definição ampla sobre digital é entender que existem transformações tecnológicas acontecendo a todo momento e que as empresas podem – e, mais do que isso, devem – se aproveitar desses sistemas emergentes. Inteligência artificial, internet das coisas e drones são exemplos de ferramentas já disponíveis e que podem beneficiar a forma como a empresa se relaciona com os clientes, colaboradores e stakeholders, além de ter a força de diferenciar sua marca do concorrente. No entanto, a solução não é tão simples quanto adotar todas as ferramentas modernas de uma vez: o espectro e diversidade de tecnologias disponíveis para os líderes empresariais é imenso e, por isso, é preciso entender qual tecnologia atende melhor à estratégia da empresa e o que faz mais sentido como investimento.

Construir a cultura de inovação – e melhorar o QI Digital – não é uma tarefa fácil, mas é necessária para as companhias serem competitivas no ambiente disruptivo e desafiador. Ter um QI Digital alto significa que o negócio, a experiência do consumidor, a cultura interna do colaborador e a tecnologia trabalham efetivamente juntos para construir uma solução coesa e acelerar a transformação digital. Isso é o que realmente vai dar vantagem competitiva para a empresa e garantir crescimento sólido.

Os 10 comportamentos essenciais

A PwC identificou as atitudes que as empresas devem apresentar para impulsionar o crescimento digital e melhorar o desempenho dos negócios.

São elas:

  1. Nosso CEO é patrocinador da estratégia digital
  2. Os executivos responsáveis pela estratégia digital se envolvem na definição da estratégia de negócios de alto nível
  3. A estratégia digital alinhada ao negócio é estabelecida e compartilhada no nível executivo
  4. As estratégias digitais e de negócios são bem comunicadas para toda a empresa
  5. Mantemos relacionamentos ativos com fontes externas para obter novas ideias de aplicação de tecnologias emergentes
  6. Investimentos corporativos digitais são feitos principalmente para obter vantagem competitiva
  7. Usamos de maneira eficaz todos os dados que obtemos para impulsionar o valor dos negócios
  8. Avaliamos de modo proativo os riscos de segurança e privacidade em projetos corporativos digitais e elaboramos planos para combatê-los
  9. Temos um roteiro corporativo digital único e plurianual, que inclui processos e competências de negócios, bem como componentes digitais e de TI
  10. Sempre medimos os resultados dos nossos investimentos em transformação digital

Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  PwC tecnologia digital Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Quem lê tanta informação?
Próxima matéria
CVM edita norma sobre atividade de consultor de investimento




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Quem lê tanta informação?
Em boa hora, o mais novo diretor da CVM — Gustavo Gonzalez — logo em seu discurso de posse lançou para discussão...