Para todos os tamanhos



É com satisfação que apresentamos, pelo terceiro ano consecutivo, a edição especial Private Equity Coletânea de Casos, que reúne 15 histórias de investimentos em empresas. Desta vez, uma particularidade: passamos por todas as fases do ciclo da indústria de capital de risco, desde o investimento anjo e do capital semente até o aporte em empresas maduras e consolidadas. Assim, embora o título da publicação use genericamente o termo private equity, é nossa intenção evidenciar as várias formas de atuação dos capitalistas de risco, que aportam recursos e conhecimento de gestão em empresas dos mais variados tamanhos.

O ano de 2011 encheu de satisfação os gestores de private equity brasileiros. Segundo dados da Emerging Markets Private Equity Association (Empea), o País protagonizou a segunda maior captação de recursos dentre os mercados emergentes, num total de US$ 4,5 bilhões, ante apenas US$ 1,078 bilhão em 2010. Ficou à frente da Índia pela primeira vez — que, apesar de historicamente mais competente nessa área, levantou US$ 2,9 bilhões — e atrás apenas da China, com seus invejáveis US$ 12,9 bilhões captados. Fechar negócios, porém, foi uma tarefa mais difícil. Os investimentos realizados pelos fundos dedicados a Brasil somaram US$ 1,7 bilhão, abaixo de Índia (US$ 5,7 bilhões) e China (US$ 8,6 bilhões).

Este ano os aportes têm tudo para acontecer em maior volume. Os gestores dispõem da montanha de recursos obtida em 2011, e os preços dos ativos tendem a se estabilizar conforme os contornos da crise europeia forem definidos. Nesse sentido, esperamos que a seleção de casos desta publicação sirva de inspiração para os negócios a serem selados. Reunimos exemplos diversos de empresas que, com a ajuda do private equity, ganharam fôlego para se internacionalizar, fazer aquisições, diversificar a atuação, aprimorar o modelo de negócios, equacionar a estrutura de capital, dentre outros objetivos.

Os casos aqui apresentados foram selecionados conforme a natureza das histórias, de modo a possibilitar uma variedade de situações ao leitor. Não simbolizam, portanto, nenhum julgamento de valor quanto a serem os melhores casos ou os mais bem-sucedidos. São apenas alguns exemplos de como a indústria de private equity pode contribuir para o crescimento das empresas brasileiras.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  private equity capital de risco investimento anjo capital semente Empea Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Happy end
Próxima matéria
Desde o momento zero



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Happy end
  A história de investimento do fundo de capital semente Criatec na Usix, empresa que vende softwares para o mercado...