Nova 202 reforçará responsabilidades dos administradores

Legislação e Regulamentação/Temas/Edição 63 / 1 de novembro de 2008
Por , e


Agora, é para valer. Depois de mais de cinco anos em preparação, a minuta da nova Instrução 202, que trata do registro de companhias para a negociação de valores mobiliários, está praticamente finalizada, garantiu Maria Helena Santana, presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A declaração foi feita em debate realizado pelo Centro de Estudos em Governança Corporativa (CEG) da Fipecafi, no fim de outubro.

Grande parte das mudanças, conta Maria Helena, diz respeito à divulgação de informações por parte do emissor. Elementos como fatores de risco, comentários da administração sobre o desempenho do negócio, currículo e remuneração dos administradores serão exigidos com mais detalhes.

“Vamos reforçar a responsabilidade dos administradores em relação à veracidade e à suficiência das informações fornecidas, diferentemente do que ocorre com a 202 hoje, em que a responsabilidade recai quase toda em cima do departamento de Relações com Investidores”, disse a executiva, reforçando que a minuta será levada a audiência pública em breve.

Dentro dos planos para regulamentar a representação de acionistas em assembléias (ver nota anterior), a CVM fará mais uma exigência. “O manual de assembléia deixará de ser facultativo para se tornar uma obrigação de todas as empresas em relação a seus acionistas”, esclareceu a presidente da autarquia. Populares nos Estados Unidos — onde são conhecidos como proxy statements —, os manuais de assembléia são materiais fornecidos pelas empresas aos acionistas, com explicações detalhadas sobre os assuntos a serem tratados na assembléia.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM legislação societária Assembléias Divulgação de informações/ Disclosure Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Notas promissórias são opção rápida e curta durante a crise
Próxima matéria
Crise traz oportunidades para quem guarda recursos do IPO



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Notas promissórias são opção rápida e curta durante a crise
Em momentos de alta volatilidade, as notas promissórias se destacam. Até outubro, 28 ofertas desse título ganharam registro...