Ouro dos tolos

Regulador australiano recebe cerca de 1,2 mil denúncias de fraudes em criptomoedas

Legislação e Regulamentação / Internacional / 25 de fevereiro de 2018
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A Australian Competition & Consumer Commission (ACCC), órgão antitruste e de defesa do consumidor do país, recebeu em 2017 um total de 1.289 denúncias de fraudes envolvendo criptomoedas, que geraram perdas de cerca de 1,2 milhão de dólares australianos (o equivalente a 3,1 milhões de reais). Entre os dias 23 e 29 de outubro, quando o valor do bitcoin bateu o recorde 7 mil dólares, o número de denúncias cresceu 126%.

Uma das fraudes mais comuns envolve o conhecido esquema de pirâmide: uma companhia promete rendimentos altos por meio da mineração de bitcoins (que gera a emissão de novas criptomoedas), quando na verdade remunera antigos investidores com o dinheiro dos novos aderentes. Em entrevista à rede local ABC, John Price, da Australian Securities and Investment Commission (Asic), recomendou aos investidores que evitem produtos relacionados às criptomoedas, a não ser que estejam preparados para perder parte ou todo o dinheiro por causa de fraudes.

A Austrália é um dos países mais ativos na regulação de criptomoedas. Em dezembro do ano passado aprovou uma lei que determina que todas as corretoras que negociam esses ativos sejam registradas e reportem às autoridades depósitos superiores a 10 mil dólares australianos e atividades consideradas suspeitas.

 




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A polêmica dos criptofundos
Próxima matéria
Luz para o futuro



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
A polêmica dos criptofundos
Discussões envolvendo bitcoins e outras criptomoedas têm despertado paixões e tirado o sono de reguladores mundo afora....