A pedido do mercado, IBGC divulgará lista de associados

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) divulgará a lista de todos os seus associados a partir de março. Hoje, quem entra no site do instituto encontra apenas a relação de associados mantenedores. Esse grupo contou, até o fim de maio passado, com a presença da Petrobras — a …

Governança Corporativa/Seletas/Edição 19/Reportagens / 26 de fevereiro de 2016
Por 


Ilustração: Grau 180.com.

Ilustração: Grau 180.com.

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) divulgará a lista de todos os seus associados a partir de março. Hoje, quem entra no site do instituto encontra apenas a relação de associados mantenedores. Esse grupo contou, até o fim de maio passado, com a presença da Petrobras — a companhia foi suspensa por um período de 12 meses após as descobertas de corrupção pela Operação Lava Jato.

A novidade reforça a transparência da entidade, principal porta-voz das boas práticas de governança corporativa no País. A ausência de uma lista completa com os nomes dos associados era vista como uma deficiência, inclusive por integrantes do instituto. Sem essa informação, não era possível conhecer todas as pessoas físicas e jurídicas que contribuem para o faturamento do IBGC e saber como atuam no mercado. De acordo com o balanço anual de 2014 do IBGC, 14% da receita do instituto é proveniente de anuidades pagas pelos associados. O percentual corresponde a R$ 2,5 milhões. Um montante bem mais relevante vem dos cursos: R$ 9,1 milhões.

Segundo uma fonte próxima ao IBGC, a Odebrecht também foi suspensa do quadro de associados — assim como a Petrobras, a empresa é investigada na Operação Lava Jato. Como os associados ainda não são divulgados, o embargo tampouco tornou-se público. Procurado pela reportagem, o instituto confirma apenas a suspensão da petroleira.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Petrobras IBGC Transparência Odebrecht ​governança corporativa Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Advogados iniciam estudo anual de casos julgados pela CVM
Próxima matéria
Novamente, os condo-hotéis



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Advogados iniciam estudo anual de casos julgados pela CVM
Os casos julgados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), assim como as tendências regulatórias por eles indicadas,...