Firmas de auditoria falham em seus trabalhos

Contabilidade e Auditoria/Internacional/Edição 126 / 1 de fevereiro de 2014
Por 


Ilustração: Eric Peleias

O Public Company Accounting Oversight Board (PCAOB) vem publicando desde o ano passado relatórios de suas inspeções nas firmas de auditoria dos Estados Unidos. Alguns resultados, todos relativos a 2012, se revelaram preocupantes. A instituição responsável por fiscalizar os auditores encontrou problemas em 55% dos documentos da BDO USA (11 de 20) que inspecionou e em 65% dos da Grant Thornton (22 de 34). A consultoria com menor índice de erros foi a Deloitte, com 25%, seguida por KPMG, com 34%, PwC, com 39%, e Ernst&Young, com 48%.

As deficiências identificadas nas duas firmas com maior índice de falhas não diferem das observadas nas demais. São relativas, principalmente, à auditoria dos controles internos, de estimativas contábeis, de riscos e de valor justo. Tanto a BDO como a Grant Thornton responderam ao órgão dizendo que estão trabalhando para melhorar seus procedimentos.

Devido à pressão exercida pelo PCAOB, um relatório do Financial Accounting Standards Board publicado em outubro de 2013 dizia que as companhias deveriam esperar por mais rigor de seus auditores.

Confira os relatórios do PCAOB sobre as falhas das auditorias:
Relatório 1
Relatório 2


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  PCAOB CAPITAL ABERTO mercado de capitais PwC Deloitte Auditoria KPMG Grant Thornton BDO Ernst&Young Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Índia e Suíça terão regras de governança mais rigorosas
Próxima matéria
Espólio



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Índia e Suíça terão regras de governança mais rigorosas
As empresas listadas na Índia e na Suíça vão enfrentar um 2014 cheio de mudanças. Em ambos os países, reformas de governança...