Retomada das ofertas de ações pode movimentar R$ 2,3 bilhões

Captação de recursos / Seletas / Reportagem / Edição 63 / 27 de janeiro de 2017
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Somadas, as três ofertas iniciais de ações (IPOs) atualmente em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) devem movimentar R$ 2,3 bilhões. A cifra corresponde às vendas das ações das locadoras de automóveis Movida e Unidas e da rede de laboratórios Hermes Pardini, considerando para o cálculo as médias de preços das faixas indicativas de cada operação. A esperada retomada das emissões pode também ganhar o impulso de ofertas subsequentes (follow-ons). Em comunicado enviado à CVM no dia 26, a operadora de concessões rodoviárias CCR informou que “estuda a viabilidade de realizar uma oferta pública de ações” dentre suas opções de capitalização.

Se as condições do mercado ajudarem, a Unidas, sozinha, vai captar cerca de R$ 1 bilhão. De acordo com o prospecto preliminar divulgado no dia 19, a expectativa é de que cada ação ordinária da companhia seja vendida entre R$ 15,15 e R$ 18,71. Caso prevaleça o preço máximo e haja demanda pelos lotes suplementares, a operação totalizará R$ 1,05 bilhão.

A Unidas espera vender 20.881.737 novas ações e mais 25.311.076 ações em oferta secundária — porta de saída para os fundos GIF, Kinea e Vinci e para alguns investidores pessoa física. Oficialmente, a oferta não é um IPO, já que a companhia tem capital aberto desde 2008. Somente agora, no entanto, os papéis serão pulverizados no mercado.

Os passos são semelhantes aos da Movida. Em seu prospecto, divulgado no dia 16, a empresa afirmou que espera vender 71.460.674 ações ONs na oferta primária, além de 6.741.573 papéis de titularidade do controlador, a JSL. Se considerado o preço médio da faixa indicativa — entre R$ 8,90 e R$ 11,30 — a estreia da Movida movimentará R$ 789,8 milhões.

Volume semelhante é esperado para o IPO da Hermes Pardini, dona de laboratórios de medicina diagnóstica. No dia 23, a companhia divulgou seu prospecto preliminar indicando o preço esperado — entre R$ 17,50 e R$ 21,50 —, o que renderá R$ 783,3 milhões se considerado o valor médio.

Começar o ano com três ofertas em andamento — e boatos de que outras virão, como as de XP Investimentos, Odebrecht e OneFoods, subsidiária da BRF — anima o mercado. Em todo o ano passado, as ofertas de ações totalizaram apenas R$ 10,7 bilhões, o que representa uma queda de 41,5% em relação a 2015, segundo o balanço anual da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O número poderia ter sido ainda pior não fosse o follow-on da Sanepar. Em dezembro, a companhia de saneamento do Paraná captou cerca de R$ 2 bilhões. As ofertas de ações já anunciadas, segundo a Anbima, “corroboram as expectativas de que as operações no segmento possam ser retomadas, aproveitando a sazonalidade favorável do início do ano”.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  IPO ccr CVM Captação de Recursos Unidas oferta de ações follow-on Movida Hermes Pardini Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Decreto muda estrutura da CVM e cria superintendência de relações institucionais
Próxima matéria
A maior ameaça da proposta da CVM para o crowdfunding de investimento




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Decreto muda estrutura da CVM e cria superintendência de relações institucionais
A representação regional de Brasília da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) será transformada em superintendência...