CVM inicia audiência pública para regulação de ofertas de condo-hotéis

Captação de recursos / Seletas / Reportagem / Edição 57 / 18 de novembro de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu para comentários do mercado a minuta da norma que vai regular a oferta de condo-hotéis no País. O processo, iniciado em 10 de novembro, se estenderá até o próximo dia 8 de fevereiro. Oficialmente denominados contratos de investimento coletivo (CICs) hoteleiros, os condo-hotéis entram no terreno da fiscalização da autarquia quando investidores são publicamente atraídos para financiar empreendimentos com a promessa de rentabilidade baseada em resultados.

Na minuta, a CVM propõe como regra geral que todas as ofertas sejam registradas na autarquia. Só ficam de fora as hipóteses nas quais é assegurada a dispensa automática, como nos casos em que a distribuição compreende apenas unidades autônomas objeto de distrato (aquelas devolvidas ao incorporador) ou que sejam remanescentes de oferta pública. A CVM sugere que até um limite de 10% do total de unidades autônomas elas sejam classificadas como sobras.

condohoteis_s57_pt2

Para conciliar os interesses dos participantes do mercado, a CVM dispensou os ofertantes da contratação de instituição intermediária; em contrapartida, manteve a limitação do público investidor dos condo-hotéis já prevista na Deliberação 734 (que vai caducar após a edição da nova norma). Só poderão participar das ofertas investidores considerados qualificados — com investimentos a partir de R$ 300 mil — ou aqueles que possuam, no mínimo, R$ 1 milhão em patrimônio. A minuta incluiu, no entanto, um critério alternativo: investidores pessoa física ou jurídica que já invistam condo-hotéis em operação de prazo superior a um ano também estão autorizados a participar das emissões.

O material publicitário das ofertas, item responsável pela suspensão da maioria das emissões até o momento, ganhará uma espécie de autorregulação. Caberá às incorporadoras fiscalizar a atuação dos corretores de imóveis. Além disso, a CVM propõe a uniformização das informações fornecidas aos investidores por meio da elaboração de um prospecto e um estudo de viabilidade econômica, ambos com conteúdo mínimo orientado pela autarquia.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM audiência pública Condo-hoteis empreendimentos hoteleiros CICs regra para condo-hotéis Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Orgulho e vergonha na Petrobras
Próxima matéria
Surpresas indesejáveis




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Orgulho e vergonha na Petrobras
É impactante o livro Petrobras uma história de orgulho e vergonha, escrito pela jornalista Roberta Paduan e lançado...