Tradicional carta anual da BlackRock é alvo de falsificação

Ativistas teriam criado versão para chamar atenção sobre problemas socioambientais

Gestão de Recursos/N@ Web / 18 de janeiro de 2019
Por 


Tradicional carta anual da BlackRock é alvo de falsificação

Ilustração: Rodrigo Auada

“Não sejam enganados por imitações. A carta real do Larry está a caminho”, tuitou a BlackRock, maior gestora de investimentos do mundo, na última quarta-feira. O motivo? Alguém havia criado e divulgado uma versão falsa da tradicional carta anual que o CEO, Larry Fink, escreve todos os anos. Muitos acreditaram, incluindo alguns veículos de imprensa. A carta dizia que, em cinco anos, 90% dos produtos de investimento da BlackRock não teriam mais empresas que não seguissem as recomendações do Acordo de Paris, entre elas companhias de óleo e carvão. Suspeita-se que a dupla de ativistas The Yes Men, que usa paródias para falar sobre problemas socioambientais, esteja por trás da trolagem. O site BlackRock’s Big Problem, cujo Twitter tem pouco mais de mil seguidores, foi criado especificamente para chamar a atenção da empresa sobre questões ambientais e foi um dos primeiros a comentar a postagem da gestora: “Esperamos que a carta real seja incisiva sobre as mudanças climáticas”.

A carta real foi publicada na quinta-feira 17. Nela, Page disse que as empresas precisavam se preocupar mais com questões sociais, como a aposentadoria dos funcionários. O BlackRock’s Big Problem logo publicou um texto destacando o fato de o meio ambiente não ter sido mencionado no recado de Page.


Leia também:

Como a disseminação do capitalismo consciente está mudando o jeito de as empresas fazerem negócios

CEOs boicotam fórum de investimento em Riad

Debate sobre salários de CEOs vai além da transparência 


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  BlackRock Larry Page Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Governo britânico se une a figurões para combater crimes financeiros
Próxima matéria
Efeitos da Lei de Proteção de Dados em operações de M&A



1 comentário
Avatar

Jan 23, 2019

Larry Page é do Google! O da BlackRock é o Larry Fink.



Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Governo britânico se une a figurões para combater crimes financeiros
No último dia 14, o Reino Unido anunciou a criação de uma força-tarefa para combate a crimes financeiros. A iniciativa,...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}