Apocalipse não: vitória de Trump causa menos estrago que o esperado

Seletas / N@ Web / Edição 56 / 11 de novembro de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A vitória de Donald Trump seria catastrófica para os mercados. Pelo menos era isso que muita gente profetizava. Em seu LinkedIn, Mohamed El-Erian, economista chefe da Allianz, escreveu no dia da votação que, caso o ex-astro de televisão fosse eleito, o cenário mais provável era de queda e volatilidade dos principais índices de ações por causa das tendências protecionistas de Trump, que incluem barreiras a importações da China e do México. Mas não foi bem assim — não em um primeiro momento: o índice Dow Jones, por exemplo, oscilou um pouco, mas acabou subindo depois de confirmada a vitória de Trump, fechando com alta de 1,4% na quarta-feira. Mesmo o mercado cambial não sofreu grandes abalos (a exceção foi o peso mexicano, que caiu intensamente). “Talvez Wall Street tenha nos enganado e queria Trump eleito desde o começo”, observou um usuário do Twitter, surpreso com a alta nos preços de várias ações. Já o economista James Bohnaker, da CBRE Econometric Advisors, se mostrou menos impressionado. “Apesar de todo o discurso de Hillary ter sido comprado por Wall Street, a promessa de Trump de acabar com a Dodd-Frank é um enorme ganho para os grandes bancos”, afirmou.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Internacional Allianz Mohamed El-Erian Donald Trump eleição americana Trump eleições 2016 Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Falta de alinhamento entre jurisdições trava evolução dos acordos de leniência
Próxima matéria
BM&FBovespa flexibiliza reforma do Novo Mercado




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Falta de alinhamento entre jurisdições trava evolução dos acordos de leniência
A procura pelos acordos de leniência aumentou por conta da Operação Lava Jato. Grandes empresas como Camargo Corrêa,...