Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
2011 – O ano do IFRS

As companhias que ainda não estão com as suas operações e os seus números devidamente ajustados nas demonstrações contábeis para o atendimento ao IFRS têm muito trabalho neste início de ano. Aquelas de médio porte, principalmente, necessitam de um plano estratégico que possibilite a visão das áreas mais críticas e das mudanças que demandarão mais esforços dos envolvidos. Tanto a quantidade como a qualidade das informações divulgadas deverão ser avaliadas, de tal forma que os interesses de investidores, fornecedores, clientes e autoridades reguladoras sejam atendidos.

As demonstrações contábeis deverão apresentar informações baseadas em conceitos introduzidos pelos padrões internacionais de contabilidade. No centro dessas mudanças, está o conceito da essência sobre a forma. A substituição do uso das normas por princípios também representa uma mudança significativa na cultura das companhias.

Esse processo de convergência tem se tornado um desafio para os profissionais de contabilidade. Trata-se da busca de uma linguagem universal de negócios através de demonstrações contábeis com maior grau de transparência e segurança das informações.

Com o objetivo de auxiliar nessa reta final, abaixo estão apresentados alguns pronunciamentos que poderão gerar ajustes importantes nas demonstrações contábeis das companhias:
,p class=”sitacao”>A substituição das normas por princípios representa uma mudança significativa na cultura das companhias

• Instrumentos financeiros — mensuração dos instrumentos financeiros para negociação a valor justo;

• Propriedade para investimento — contabilizado no grupo do ativo não circulante e avaliado a valor justo;

• Ativos biológicos — avaliados a valor de mercado;

• Investimento em coligada e controlada — mudança do conceito de influência significativa, que passa a ser presumido a partir de 20% do capital votante. O valor justo do acervo líquido da entidade adquirida deverá ser considerado em caso de combinação de negócios, para a apuração do ágio;

• Informações por segmento — devem ser apresentadas para as companhias abertas. Para esses casos, é necessário mostrar as receitas, os lucros e os ativos por segmento operacional;

• Ativo imobilizado — revisão das taxas de depreciação;

• Contratos de concessão — A infraestrutura da concessão deixa de ser um ativo imobilizado e passa a ser registrada como um intangível e/ou um ativo financeiro. Os ativos deixam de ser considerados como ativos da concessionária e passam a ser tratados como ativos da concessão;

• Contabilização da proposta do pagamento de dividendos — os dividendos passam a ser considerados como passivo, quando, de fato, forem uma obrigação presente da companhia no momento da apresentação das demonstrações contábeis; e

• Benefícios a empregados — reconhecimento de obrigações provenientes de benefícios concedidos a empregados pós-emprego.

Cabe ressaltar que o Bacen e a Susep não aprovaram o uso dos pronunciamentos emitidos a partir de 2009 nas demonstrações contábeis individuais para o exercício encerrado em 31 de dezembro de 2010. No entanto, o uso das normas internacionais de contabilidade é obrigatório nas demonstrações contábeis consolidadas desse exercício.

Para as demais empresas, os responsáveis pela elaboração das demonstrações devem avaliar para quem as demonstrações contábeis são direcionadas, de tal forma que as divulgações atendam às necessidades dos interessados nos seus negócios.


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 9,90/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.