Referência em governança? No more!

5/2/2015

Sem categoria / 5 de fevereiro de 2015
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Geraldo Soares*/ Ilustração: Julia Padula

No início do século 21, o Brasil era referência mundial em governança corporativa, com várias iniciativas que de alguma forma se complementavam. Níveis de governança corporativa da bolsa, autorregulação de várias entidades, criação do ISE, expansão do IBGC, implantação do Plano Diretor do Mercado de Capitais, entre outras.

Após esse período inicial de grande movimentação intelectual, com ações corajosas e inéditas da sociedade civil organizada, as inovações cessaram. Infelizmente! Hoje não somos mais referência em governança corporativa no mundo — nem na América Latina. Prezado leitor, 57 países possuem códigos de governança corporativa nacional, sendo que alguns deles obrigam não apenas as companhias abertas a adotá-lo, como também as empresas fechadas. Essa obrigatoriedade cria uma cultura de governança no meio empresarial, fortalecendo as empresas e, por consequência, a nação. O que houve para chegarmos a tal ponto? O que o caro leitor pensa que podemos fazer para alterar esse frustrante quadro?




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  IBGC CAPITAL ABERTO mercado de capitais ISE Autorregulação inovação código de governança corporativa nacional cultura de governança Plano Diretor do Mercado de Capitais referência Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Petrobras: boas práticas de governança ainda não estão em prática
Próxima matéria
Trapalhada ao divulgar renúncia rende mais um processo para a Petrobras na CVM



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Petrobras: boas práticas de governança ainda não estão em prática
Hoje pela manhã a Petrobras oficializou a renúncia da presidente Maria das Graças Foster e de outros cinco diretores....
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}