A MP 627 e as normas contábeis: o fisco volta a influenciar a contabilidade

5/5/2014

Sem categoria / 5 de Maio de 2014
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Eliseu Martins*/ Ilustração: Julia Padula

Sempre reclamamos – e muito, no passado – do papel que o fisco teve na contabilidade brasileira, ao levar nossas empresas a seguirem muitos procedimentos por influência ou exigência fiscal, à custa de uma enorme perda na qualidade informacional aos credores, investidores e outros usuários externos à empresa e também à sua própria administração. Todavia, com a Lei 11.638/07 e MP 449/08 (Lei 11.941/09), numa atitude que tantas vezes elogiei e continuo a elogiar, a neutralidade fiscal devolveu à contabilidade seu relevante papel informacional, podendo ela colaborar de forma mais efetiva para a evolução da economia.

Agora, com a MP 627 e a extinção do RTT, voltaremos a sofrer influências do fisco na contabilidade, apesar de num nível totalmente diferente. Vamos a um exemplo: a figura do ajuste a valor presente é relevante em muitas empresas para fazer com que as receitas, as despesas, o resultado, os recebíveis e os valores a pagar tenham um significado maior, sendo reconhecidos e mostrados sem a deturpação dos juros derivados dos prazos nas operações que os geram. Mas a MP 627 determinou que esses ajustes não serão aceitos definitivamente para fins fiscais. Ora, o que isso pode acarretar? Fazer tais ajustes na contabilidade e não aceitá-los para o lucro tributável obriga as empresas a um conjunto de controles que custa dinheiro, toma espaço nos sistemas e gasta tempo das pessoas. Logo, que tentação simplesmente não aplicá-los na contabilidade! Para certas operações a longo prazo, isso não será possível, porque o ajuste é compulsório, mas, para milhares de transações a curto prazo, onde na maior parte das vezes esse é um procedimento opcional, haverá definitivamente uma tentação a não fazê-los. E vamos perder qualidade informacional, inclusive para fins gerenciais. É uma pena! Se o fisco houvesse aceitado todos os efeitos tributários desse procedimento contábil, com certeza não teríamos essa influência negativa.

É lógico que isso em nada se compara com o que ocorria no passado, quando essa influência chegava a ser nefasta. Mas é uma lástima que não se tenha aproveitado a oportunidade para um aperfeiçoamento mais completo.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  RTT CAPITAL ABERTO mercado de capitais Fisco MP 627 ajustes 11.638/07 11.941/09 fins fiscais MP 449/08 valor presente Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Conselheiro em ação
Próxima matéria
Exportando equivalência patrimonial nos balanços individuais



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Conselheiro em ação
Os processos de recuperação judicial da OGX e da OSX abalaram a confiança do investidor nas empresas brasileiras. Em particular,...