Outras ideias

A reforma do Novo Mercado é o tema da reportagem de capa desta edição. Na tentativa de obter o respaldo das companhias, a BM&FBovespa emendou uma série de tópicos da proposta original e abriu uma segunda rodada de consulta pública. Entre os temas polêmicos, a oferta pública obrigatória em caso de …

Seletas/Editorial/Edição 56 / 11 de novembro de 2016
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


A reforma do Novo Mercado é o tema da reportagem de capa desta edição. Na tentativa de obter o respaldo das companhias, a BM&FBovespa emendou uma série de tópicos da proposta original e abriu uma segunda rodada de consulta pública. Entre os temas polêmicos, a oferta pública obrigatória em caso de aquisição de participação acionária relevante. Em vez de cravar um percentual, a Bolsa propõe agora uma faixa entre 20% e 30%, para que as companhias escolham o que considerarem mais adequado. A mudança ajuda, mas a adesão das companhias ainda parece pouco provável. Uma pena. A questão é um celeiro de conflitos societários. Se a regra fosse clara, os riscos e custos envolvidos nas transações de compra e venda igualmente seriam.

Na coluna desta edição, Carlos Rebello lamenta a ausência da CVM no projeto de lei que trata da organização das agências reguladoras. Critérios mais transparentes de seleção dos seus dirigentes, ele afirma, seriam um benefício especialmente valioso para a autarquia, entre outros méritos do projeto. O colunista sugere algumas boas ideias para o caso de governantes e parlamentares eventualmente se preocuparem com o desenvolvimento do mercado de capitais. Vale conferir.

Também neste número de SELETAS, os entraves aos acordos de leniência, ansiados por companhias que se tornaram alvo dos espirros da Lava Jato. A ausência de um arranjo entre os órgãos responsáveis explica parte da reduzida taxa de celebração de acordos; a insegurança jurídica responde por outra parcela. Enquanto isso, os diretores dessas companhias ficam de mãos atadas para vender ativos, recuperar o caixa e seguir com os negócios. Uma solução rápida para o problema torna-se primordial.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Novo Mercado acordo de leniência editorial simone azevedo reforma na Bolsa Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Acordos de leniência
Próxima matéria
FIDCs pós-Instrução 531



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Acordos de leniência
A cada fase da Operação Lava Jato novos acordos de leniência são fechados. Eles permitem que indivíduos ou empresas...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}