Crônica

Notas sobre um 2019 que mais pareceu 1968.

Um 2019 que mais pareceu 1968

O ano que se encerra ficará marcado por agressões ambientais, desigualdade, desemprego, endividamento e precariedade da previdência


Navegações: novas rotas para o desenvolvimento

A agenda neoliberal serve mais à desagregação social do que ao crescimento da economia


Cenário é desfavorável à Previdência sustentável

Caso as autoridades não tomem providências, a conta recairá novamente sobre o contribuinte


Profecias: no Brasil, elas costumam não dar muito certo

De tempos em tempos surge a expectativa em torno de algo com um quê de milagroso que faça o Brasil crescer


Erros à brasileira

Pressa e desatenção, inimigas da clareza


Boicotes

Boicotes

Empresas por vezes criam as próprias armadilhas


Impérios

Impérios

As destruições provocadas por figuras como Xerxes e Eike Batista


Desafio à lógica

As surpresas que vêm depois das eleições


Sem cerimônia

Interventores (ativistas, inclusive) chegam com ares de César triunfante e com disposição de Jack, o Estripador


As baleias falsas de Copacabana

O insider e as fake news não vão desaparecer, mas talvez alguns espertos se deem mal