Tecnologias disruptivas: como tributar?

Como cobrar impostos das empresas da nova economia sem prejudicar seu desenvolvimento

Grupos de Discussão/Tributação/Encontros
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


patrocinio-pwc

A tributação das chamadas tecnologias disruptivas, como as usadas por Netflix, Spotify, Uber e Airbnb, vem rendendo discussões acaloradas. No fim de 2015, a Câmara aprovou um projeto que prevê a cobrança de ISS (Imposto sobre serviços) das lojas de aplicativos e de empresas que fornecem áudio, vídeo, imagem e texto em páginas eletrônicas (exceto no caso de jornais, livros e periódicos). Com isso, plataformas de streaming como Netflix e Spotify, por exemplo, entraram na mira do Fisco. O Uber tampouco escapou ileso, ao passar a ter o ISS exigido pela Prefeitura de São Paulo. Os impostos exigidos fazem sentido? Em que medida podem prejudicar o desenvolvimento dos negócios disruptivos no Brasil? A regulamentação dessas atividades é um caminho para evitar a incerteza jurídica? Como outros países vêm tratando a tributação das tecnologias disruptivas? Essas e outras questões foram abordadas neste Grupo de Discussão.

Clique aqui e confira a reportagem Tributação de negócios disruptivos gera dúvidas, produzida a partir do encontro.

Assista ao vídeo com os melhores momentos do Grupo de Discussão.

Ficou curioso? Ouça a íntegra do evento no Clube de Conhecimento!

Fotos: Régis Filho

 




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  ISS tributação PwC Fisco Netflix grupo de discussão Airbnb Uber Negócios disruptivos Disruptivo tecnologias disruptivas Spotify Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
BDRs não patrocinados: acesso direto ao mercado global via BM&FBOVESPA
Próxima matéria
Inconciliáveis



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
BDRs não patrocinados: acesso direto ao mercado global via BM&FBOVESPA
Os investidores brasileiros agora podem negociar mais 16 novas ações de companhias norte-americanas — como Alcoa, General...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}