Pena torta

Empreendedor se arrisca na arte do romance, mas o resultado é um investimento de baixo retorno

Captação de recursos/Prateleira/Edição 128 / 1 de abril de 2014
Por  e


Rachid Sefrioui é um empreendedor e investidor em capital de risco, o que nos Estados Unidos chamam de “venture capitalist”. Segundo seu próprio site, ele adora o ambiente frenético de uma empresa nascente e a determinação para levar o projeto até o sucesso. A primeira incursão de Sefrioui na seara literária, contudo, sugere que ele deveria se ater à esfera das finanças e do empreendedorismo.

Squaring the circle conta a história de dois amigos ao fim do MBA pela Universidade Columbia, em Nova York. O matemático Ryker Shaheen é um gênio da programação com visão de integração de sistemas; o estrategista Armen Balfour é mestre na arte de influenciar tomadores de decisão. Os dois partem em suas carreiras solo após a escola de negócios, não sem antes pactuar que, chegado o momento certo, buscariam o ponto culminante de suas ambições: o negócio que os tornaria ricos e reconhecidos mundialmente.

Duas décadas se passam até o momento chegar. Ryker diz a Armen que as peças do xadrez estão no lugar e é hora de agir. O plano, bastante complexo, gira ao redor de um sistema de roteamento de operações financeiras eletrônicas chamado Gnosis. Devido a sua arquitetura vanguardista, ele permite transações em velocidade muito superior ao padrão atual com o dobro da segurança, o que aposentará os demais sistemas da noite para o dia.

No entanto, para colocar o projeto em pé falta um financiador forte. A criação da plataforma exige adquirir e fundir mais de dez empresas de software, numa conta estimada em 500 milhões de dólares. Aqui entra o magnata inglês Orwell Benedict, para quem Armen trabalha. O estrategista apela com sucesso para o ego de Benedict — que, mais do que apenas fazer um investimento, claramente busca deixar um legado para a história. A seguir, Armen consegue a aprovação do comitê de investimentos do conglomerado financeiro do magnata e finalmente parte para as aquisições.

Devido à natureza revolucionária do Gnosis, entretanto, as autoridades regulatórias inglesas promovem grande escrutínio sobre o poder que a plataforma teria, ao dominar completamente o roteamento de ordens de compra e venda de ativos financeiros. Afinal, o dono do software poderia se aproveitar do conhecimento do fluxo de compra e de venda em benefício próprio.

É quando surge a Alchemy, uma porta dos fundos da plataforma Gnosis que permite espionar o fluxo de negociações e revela a verdadeira motivação de Ryker e Armen. Uma vez conhecedores das ordens de compra e venda dos ativos, eles poderiam realizar grandes operações de arbitragem sem risco algum, enriquecer em questão de dias, fechar a Alchemy e partir para aposentadorias tranquilas no Caribe. No final, a operação de venture capital é apenas uma cortina de fumaça para a velha ideia do golpe cibernético.

Com o circo de intrigas armado entre os empreendedores, as ameaçadas empresas financeiras da velha guarda e os reguladores, a trama se desenvolve em velocidade crescente até o clímax. Para quem gosta de uma boa narrativa de suspense, o livro é, de certa forma, juvenil; para quem busca uma elaboração romanceada do investimento em empresas nascentes, é muito superficial.
O autor abusa das situações inverossímeis, embora algumas partes sejam interessantes, principalmente quando Armen banca o estrategista e utiliza técnicas de teoria dos jogos nas negociações. A parte mais decepcionante é o final, que dá a sensação de uma batida a 200 km/h, tal a velocidade de frenagem. A história termina destroçada.

Squaring the circle: A venture thriller – Rachid Sefrioui
Editora: Amazon Digital Services, Inc. – 203 páginas – 1ª edição, 2014




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais Squaring the circle Rachid Sefrioui venture capitalist Ryker Shaheen Armen Balfour sistema operações financeiras eletrônicas transações em velocidade Orwell Benedict software Gnosis Alchemy golpe cibernético batida a 200 km/h Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
UE quer mais transparência em aspectos ambientais e sociais
Próxima matéria
Ouvidos atentos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
UE quer mais transparência em aspectos ambientais e sociais
Em abril, a União Europeia vai votar uma proposta para tornar as grandes empresas mais transparentes no que diz respeito...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}