Rigor excessivo?

Confira o vídeo do Grupo de Discussão sobre Tributação



Desde 2018, a postura da Receita Federal em relação aos fundos de investimento em participações (FIPs) vem mudando. De acordo com alguns participantes do mercado, o fisco não têm considerado as particularidades da cadeia de investimento da indústria de private equity global, o que tem levado a autuações de fundos com estruturas legítimas. Áreas que geram questionamentos incluem, por exemplo, a necessidade de identificação de todos os investidores finais do fundo, o domicílio fiscal de holdings intermediárias na estrutura, a contratação de general partners, entre outras. Essa situação estaria gerando insegurança e travando investimentos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  private equity Fundos de investimento Receita Federal FIPs Fisco investimento estrangeiro Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Tempo de se reinventar
Próxima matéria
Mediação de conflitos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Tempo de se reinventar
As flutuações na economia, a rápida transformação do ambiente digital e a ascensão de novos hábitos de consumo exigem...