Falha de comunicação

Confira o vídeo do Grupo de Discussão sobre sustentabilidade e disclosure

Vídeos / 17 de abril de 2018
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Não há mais dúvidas de que os critérios ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês) são balizadores relevantes para as decisões de investimento. Hoje eles são acompanhados de perto não só por fundos especializados na alocação de recursos em companhias socialmente responsáveis como também por veículos tradicionais de investimento. “Cada vez mais vemos a análise ESG como uma competência essencial do analista, e não como um nicho”, ressalta Juliana Lopes, diretora-executiva do CDP Latin America. No exterior, no entanto, a preocupação com esses aspectos é muito maior do que no Brasil. “O engajamento do estrangeiro nesse tema é mais relevante. O brasileiro ainda quer saber mais sobre governança corporativa do que sobre aspectos socioambientais”, observa José Simão, diretor de relações com investidores da AES Brasil.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Aspectos tributários do coworking
Próxima matéria
Brasil isolado



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Aspectos tributários do coworking
O conceito de coworking no Brasil ainda é relativamente novo. Os primeiros empreendimentos começaram a aparecer por aqui...