Valor justo agora preocupa os fundos de private equity

Contabilidade e Auditoria / Temas / Internacional / Edição 66 / 1 de fevereiro de 2009
Por , , e


Mostrar a que preço os ativos seriam negociados hoje, num ambiente de deteriorados pela crise, poderá significar um duro golpe para a indústria de private equity. A razão para isso está na aplicação do pronunciamento 157, do Conselho de Normas de Contabilidade Financeira dos Estados Unidos (Fasb). A regra torna obrigatório o uso do “valor justo” para a mensuração de investimentos. Depois de a marcação a mercado — uma das formas de se apurar o valor justo — ter provocado perdas contábeis bilionárias para instituições financeiras ao longo da crise do subprime, os fundos de capital de risco apresentarão, pela primeira vez, a performance de seus investimentos à luz do 157.

Não se sabe o tamanho das baixas que surgirão nos relatórios anuais de gestores de private equity, mas certamente ele não será desprezível. A expectativa é de que os preços das empresas dos portfólios dos fundos tenham caído muito, diante das dificuldades de venda de participações. Segundo a Preqin, consultoria nor te-americana especializada em investimentos alternativos, as incertezas farão com que a injeção de recursos em fundos de private equity do mundo todo despenque mais de 40% no primeiro semestre de 2009, ante igual período de 2008. De US$ 346 bilhões, as captações globais diminuiriam para US$ 200 bilhões. A recuperação só deverá começar no segundo semestre, conforme as previsões da consultoria. Para o médio e o longo prazos, porém, a Preqin espera que o alto potencial de retorno proporcionado pelo private equity volte a fazer a diferença.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  private equity Fasb Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Nos EUA e na Europa, bolsas investem em "piscinas escuras"
Próxima matéria
Japão flexibiliza regras para empresas listadas no seu AIM




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Nos EUA e na Europa, bolsas investem em "piscinas escuras"
Em 29 de janeiro, a Bolsa de Valores de Nova York (Nyse) ganhou a sua própria “piscina”. As “dark pools” (“piscinas...