Por 


Os últimos meses não têm sido fáceis para os investidores. Em setembro, o banco Cruzeiro do Sul foi liquidado pelo Banco Central, deixando acionistas e credores com um mico na mão. Em outubro, foi a vez das ações da Petróleo Manguinhos despencarem após o anúncio da desapropriação da sede da empresa — um terreno de 500 mil metros quadrados. O governo do Rio de Janeiro pretende construir um bairro popular no local. Diante disso, os acionistas perceberam que as redes sociais podem ser um espaço útil para mobilizar os pares e buscar compensações. No Facebook, foi criada a comunidade Investidores Refinaria de Manguinhos, que tinha 75 membros no fechamento desta edição e atividade intensa. http://is.gd/BNryGQ

 



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Banco Central investidores Cruzeiro do Sul Petróleo Manguinhos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Não me contrariem!
Próxima matéria
Na berlinda




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Não me contrariem!
Jack Welch, ex-CEO da General Electric (GE) e hoje consultor, não acredita que as estatísticas que apontam a redução...