Servindo ao rival

Segundo Oxera, abertura da CBLC pela BM&FBovespa é a maneira mais eficiente de promover a competição

Captação de recursos/Temas/Edição 107 / 1 de julho de 2012
Por 


A oferta dos serviços de compensação e liquidação pela BM&FBovespa seria a maneira mais efetiva de promover a entrada de novas bolsas de valores no Brasil. Essa é a constatação de um estudo sobre a eficiência do mercado acionário brasileiro encomendado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e divulgado em junho. A hipótese de abertura da CBLC agrada às postulantes ao ingresso no País — a Bats e a Direct Edge anunciaram oficialmente esse plano —, mas a consultoria europeia Oxera, autora do estudo, também reconheceu a dificuldade que seria executar a ideia.

A prestação dos serviços de clearing pela CBLC, pertencente à Bolsa, seria fundamental para uma concorrência sadia, pois, segundo o estudo, a implantação de uma nova câmara de compensação e liquidação duplicaria processos e custos para o mercado como um todo. A Oxera, admite, porém, que a CVM ou outros órgãos reguladores precisariam estimular a BM&FBovespa a permitir a seus rivais o acesso à CBLC.

Ciente da demora que uma decisão sobre isso tomaria, a Oxera também recomenda um trabalho de monitoramento e comparação dos preços estabelecidos pela BM&FBovespa com tarifas aplicadas por pregões internacionais. Essa fiscalização poderia ser feita pela própria Bolsa, em parceria com as partes interessadas (corretoras e investidores) e sob a supervisão dos órgãos reguladores competentes, ajudando a evitar possíveis distorções.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  bmfbovespa CBLC Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Informação atualizada
Próxima matéria
A supervisão do regulador



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Informação atualizada
Diante de um evento que demande atualização do formulário de referência antes de 31 de maio (para as companhias cujo...