Investidor pagará por fracassos de bancos japoneses

Relações com Investidores/Internacional/Edição 119 / 1 de julho de 2013
Por 


No mundo todo existe uma pressão para que o governo não tenha de socorrer, com dinheiro público, cada banco “grande demais para quebrar” que fracassa. No Japão, uma lei aprovada no começo de junho pretende atender justamente a esse clamor. O diploma criou um tipo de ação preferencial e de debênture subordinada que virão a mercado com as chamadas “bail in clauses” — cláusulas que preveem que os detentores desses ativos socorram os bancos, e não os contribuintes (como acontece nos “bail outs”).

O Japão tomou a frente numa iniciativa que vem sendo discutida em outros países: fazer investidores privados pagarem pela quebra de bancos, em vez de eles terem de ser resgatados pelo governo. Na União Europeia, uma comissão dedicada ao assunto sugeriu a criação de um tipo especial de título de dívida que seja convertido em ação caso a instituição tenha problemas.

Ao jornal Financial Times, o analista da agência de rating Moody’s em Tóquio declarou que a nova lei japonesa é perfeitamente “lógica” e segue as recomendações do Financial Stability Board, órgão que congrega reguladores de bancos e foi criado para evitar crises bancárias como a de 2008.

Até agora, no Japão, apenas o Nomura Securities lançou títulos com bail in clauses. Alguns bancos pretendem, inclusive, pedir permissão a seus acionistas nas próximas assembleias para mudar seus estatutos, com o objetivo de emitir as novas modalidades de ativos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Japão Investidor Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
PMEs chinesas se voltam ao mercado de dívida
Próxima matéria
Fundos zumbis de PE acumulam US$ 116 bilhões



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
PMEs chinesas se voltam ao mercado de dívida
Em 2011 e 2012, as pequenas e médias empresas (PMEs) chinesas levantaram cerca de 315 bilhões de iuanes (US$ 50 bilhões)...