Empresas veem decisão da CVM sobre voto de Eike Batista como regra nova

Seletas / Relações com Investidores / Reportagem / Edição 55 / 4 de novembro de 2016
Por 
Ilustração: Rodrigo Auada Faz exatamente um ano que o empresário Eike Batista foi impedido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de exercer os cargos de administrador ou conselheiro fiscal em companhias abertas por cinco anos. A decisão até hoje é vista com perplexidade dentro da...

Este conteúdo é restrito a assinantes! Faça login >

paywall2 paywall

Se já é assinante, faça login:



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  CVM assembleia Lei das S.As. EIKE BATISTA acionista controlador aprovação de contas relações societárias voto em assembleia sócio-administrador

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Investimentos de longo prazo em educação corporativa resistem à crise
Próxima matéria
CVM adia decisão sobre multa a Henrique Pizzolato




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Investimentos de longo prazo em educação corporativa resistem à crise
Apesar de o cenário econômico desafiador levar as empresas a repensar seus investimentos de curto prazo, é crescente...