As aparências não enganam, não

Relações com Investidores/N@ Web/Edição 129 / 1 de maio de 2014
Por 


Se a empresa não vai bem, até a aparência do CEO pode ser criticada. É o que está acontecendo na Lululemon, marca de roupas esportivas voltadas à prática de yoga. As ações da companhia eram negociadas a US$ 85 há menos de um ano e agora têm cotação inferior a US$ 50 na Nasdaq. Laurent Potdevin, presidente da Lululemon, resolveu fazer uma apresentação a investidores para falar sobre o futuro da empresa, mas eles não gostaram do que ouviram e o consideraram muito vago. Além disso, observaram que estava gordinho e desleixado. “Será que ele precisa fazer yoga?”, questionaram alguns maldosos no Twitter. Outros alfinetaram Potdevin dizendo que ele não personificava os valores da empresa, de uma vida saudável e equilibrada. Se as ações estivessem subindo, será que alguém se importaria com a barriguinha do CEO?

Link: http://bit.ly/1k7EVgE

Ilustração: Marco Mancini/Grau180.com


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Twitter CAPITAL ABERTO mercado de capitais Lululemon Laurent Potdevin Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
O Brasil falhou
Próxima matéria
Vida sem café vale a pena?



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
O Brasil falhou
O famoso gestor de fundos de mercados emergentes Mark Mobius, da Franklin Templeton, esteve no Brasil em abril e escreveu...