Ranking de corretoras passa a incluir analistas da América Latina

Captação de recursos / Temas / Internacional / Edição 69 / 2 de maio de 2009
Por , e


O ranking StarMine de corretoras — um dos mais conceituados do mundo — traz uma novidade na edição 2009: a presença de corretoras que atuam em mercados latino-americanos. Especializada em suporte a investidores, a norte-americana StarMine avalia anualmente a precisão de recomendações e previsões de corretoras em várias partes do globo.

Entraram no ranking apenas instituições que cobrem, pelo menos, 25% das empresas que compõem o índice de países emergentes do Morgan Stanley (MSCI Emerging Markets Free Latin America Index). O primeiro lugar no quesito recomendações ficou com o Goldman Sachs, seguido por Santander, Morgan Stanley, UBS, Bank of America-Merril Lynch, Planner Corretora, Unibanco Investshop, Itaú Corretora, Citigroup e Deutsche Bank Securities.

Para medir a acurácia das recomendações, a StarMine as correlaciona com a performance do papel em relação a um índice de referência. Por exemplo, se uma corretora der ordem de compra de uma ação, ganhará pontos se seu desempenho ultrapassar o benchmark. Quanto maior for a superação, mais pontos ganha a corretora. O raciocínio inverso se aplica nas recomendações de venda. Nas sugestões de manutenção, ganham-se pontos se a ação se mantiver em linha com o benchmark.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Corretoras Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
FIPs interferem em empresas antes de investir
Próxima matéria
Poucas companhias divulgam a sua gestão de riscos, diz pesquisa




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
FIPs interferem em empresas antes de investir
Uma nova postura surge entre gestores de fundos de participações em empresas de capital fechado: o trabalho estratégico...