Pequenas empresas ganham espaço nas bolsas de valores

Captação de recursos/Internacional/Temas/Edição 109 / 1 de setembro de 2012
Por 


As companhias de baixa capitalização estão, aos poucos, tomando um espaço cativo nos pregões. Em março, a Bolsa de Mumbai inaugurou a BSE SME Exchange com esse foco, enquanto a também indiana National Stock Exchange colocou em funcionamento o Emerge. Agora, é a vez de a Nyse Euronext demarcar sua presença nesse segmento. Em agosto, ela declarou que pretende lançar a Entrepreneurs Exchange — um carve out da Euronext, bolsa baseada em Amsterdam pertencente ao grupo Nyse, e da Alternext, que já abriga pequenas companhias. Com essa iniciativa, a Nyse espera impulsionar o crescimento de empresas de pequeno porte pan-europeias que tiveram sua expansão prejudicada pela crise financeira e por restrições a empréstimos bancários.

Cerca de 900 empresas já listadas na Euronext com valor de mercado inferior a € 1 bilhão (US$ 1,23 bilhão) serão transferidas para a nova bolsa. O mesmo acontecerá com companhias com essa capitalização listadas na Alternext. A Nyse acredita que, para ser bem-sucedida, a Entrepreneurs Exchange precisa ser inaugurada com um número considerável de emissores. Além disso, deve ser desenvolvida de modo a reduzir os custos e as barreiras que afastam as companhias de pequeno porte do pregão. Nesse sentido, prevê a criação de uma espécie de “mercado de estreia” ligado ao Entrepreneurs Exchange que permitirá às companhias desfrutarem um período de adaptação aos requisitos de listagem.

A Nyse também quer impedir que papéis de empresas de pequeno porte sejam alvos de transações de alta frequência, que envolvem o uso de computadores super-rápidos para comprar e vender papéis em frações de segundo. Esse tipo de negociação é visto como responsável pelo aumento da volatilidade dessas ações.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Bolsas de valores capitalização Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Grandes emissores
Próxima matéria
Pequenos desunidos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Grandes emissores
Quais as vantagens de ser um Egem? A principal vantagem é a possibilidade de celeridade na análise do pedido de oferta...