Parceria entre as bolsas de Londres e Tóquio cria o AIM japonês

Captação de recursos/Internacional/Temas/Edição 60 / 1 de agosto de 2008
Por 


Empresas britânicas em crescimento que precisam se capitalizar costumam recorrer ao AIM — Alternative Investment Market — um mercado que funciona como facilitador, na medida em que auxilia empresas menores a captar recursos na bolsa e permite uma transição mais tranqüila para o mercado principal da London Stock Exchange. Além disso, para companhias de outros continentes, o AIM representa uma porta de entrada para as bolsas européias e também uma alternativa às bolsas americanas, que requerem altos investimentos para adequar as práticas empresariais às regras da Sarbanes-Oxley.

Inspirados pelo sucesso da experiência britânica, os japoneses decidiram ter o seu AIM. No último dia 29 de julho, anunciaram uma parceria com a Bolsa de Londres para a criação de um mercado de acesso para as empresas de menor porte na Tokyo Stock Exchange.

Para viabilizar o projeto, os japoneses tiveram de introduzir alterações na lei que regula o mercado de capitais nipônico (Financial Instruments and Exchange Act). Segundo Atsushi Saito, presidente da Bolsa de Valores de Tóquio, adotar um sistema regulatório tão flexível será uma novidade importante para o desenvolvimento do mercado de capitais no Japão. Ele espera que, com a parceria, companhias menores possam trabalhar em conjunto com investidores profissionais para criar “o mercado mais bem-sucedido da Ásia”.

Em Londres, a principal vantagem do AIM são os menores custos relacionados ao lançamento de ações. Isso só é possível graças à adoção de regras mais flexíveis, que foram especialmente desenvolvidas para atender às necessidades das empresas que ainda não alcançaram tamanho suficiente para possuir ações negociadas no Main Market. As figuras-chave no sistema regulatório adotado nesse mercado são os Nomads (Nominated Advisers), agentes encarregados de analisar as empresas e garantir à Bolsa de Londres que as práticas adotadas estão em conformidade com as normas do AIM.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  AIM Tóquio Londres Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
KPMG prevê queda nas operações de fusões e aquisições
Próxima matéria
Odontoprev torna teleconferência mais interativa



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
KPMG prevê queda nas operações de fusões e aquisições
A última edição do estudo Global M&A Predictor, publicado pela KPMG International, prevê uma queda, tanto em volume...