Tiro no pé?

MiFID II pode dificultar e encarecer as negociações

Legislação e Regulamentação/Internacional / 20 de agosto de 2017
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Em 3 de janeiro de 2018 um novo arcabouço regulatório para o mercado de capitais entra em vigor na União Europeia. Trata-se da MiFID II, sigla em inglês para a segunda diretiva de mercado para instrumentos financeiros, que substituirá a primeira, de 2004.

Entre as novidades da MiFID II está o lançamento de uma plataforma de negociação batizada, por ora, de Organized Trading Facility (OTF), cujo objetivo é capturar operações que hoje são feitas em plataformas não reguladas, como as várias disponíveis para o mercado cambial. O novo arcabouço cria também limites para o tamanho das posições que um investidor pode montar em derivativos de commodities, para impedir especulação excessiva em ativos agrícolas; introduz regras para as negociações de alta frequência (HFT, na sigla em inglês); e passa a proibir que corretoras, casas de análise e bancos ofereçam relatórios gratuitos para seus clientes ou o distribuam como “degustação” para atrair novos usuários.

A criação de tantas regras pela MiFID II — algumas bastante específicas — tem preocupado o mercado. As normas são muito mais rígidas do que as adotadas em países como a Suíça, Cingapura ou Estados Unidos, o que pode dificultar e encarecer as negociações no mercado de capitais.

 


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  regulamentação Legislação Internacional mercado de capitais instrumentos financeiros MiFID II Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Governo planeja alterar cobrança de imposto de fundos exclusivos
Próxima matéria
O grande benefício das Ipsas para o Brasil



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Governo planeja alterar cobrança de imposto de fundos exclusivos
No último dia 15, o governo anunciou uma série de medidas para compensar o prognóstico de perda líquida de 42 bilhões...